The Walking Dead - S04E02 - Infected

Always the fucking SPOILERS!

Após um bom Season Premiere que me rendeu uma boa dose de esperança para a série, chego à conclusão com esse S04E02 que The Walking Dead precisa sair de sua zona de conforto. E se isso significa dar adeus a prisão, que isso aconteça logo, pelo bem do seriado.

Preocupado em desenvolver os dramas e dilemas dos personagens em suas situações limite, o que é sempre interessante, Infected tropeça novamente em um roteiro irregular, que insiste em apostar em algumas subtramas desinteressantes, bem como parece ignorar a natureza de algumas das principais figuras da série. Duas delas em especial. A primeira é Tyreese e seu romance adolescente. Os fãs esperam muito do personagem, que até agora só fez fugir da ação e trocar mimos com uma coadjuvante que não disse a que veio e já foi embora. E o que foi o brutamonte chegando com aquele buquê de flores no fim do episódio? Muito piegas. E tem explicação para ser, pois não deu tempo, como espectadores,  de nos importarmos com o casal, fazendo com que o impacto da morte da mulher simplesmente não aconteça.

A segunda é Michonne, testando a paciência e qualquer suspensão de descrença. Como que a personagem mais hábil da série - depois de Daryl - simplesmente se machuca (aparentemente de forma grave) ao descer do cavalo? E ao se deparar com alguns walkers resolve empurra-los (!!!) ao invés de sacar sua katana, pela qual é conhecida. Assim fica difícil. Afinal, Michonne é para ser uma personagem "badass" ou não? Ao menos sua cena dramática com o bebê foi muito boa, me deixando curioso a respeito de seu passado. Será que ela já foi mãe? Apostaria nisso.

Mas nem tudo estava perdido, pois o episódio também teve bons momentos. Ainda que me incomode a forma abrupta como Carol está agindo com as crianças, principalmente pela personagem não ter demonstrado traços dessa evolução no passado, a discussão levantada é interessante. Afinal, em tempos de caos, crianças ainda precisam ser crianças? Nesse sentido eu sou mais como Rick, que ainda tenta (ou tentava) preservar a inocência de seu filho. E convenhamos que fazer com que duas crianças "finalizem" seu próprio pai não deve ser a melhor forma de fazê-las amadurecerem.

Por falar no xerife, esse é o que carrega o maior dilema interno nesse início de temporada, fruto dos resquícios de acontecimentos passados. A cena em que se vê obrigado a sacrificar os porcos foi bastante intensa e simbólica (além de muito bem construída e dirigida, com a câmera inquieta) pois mostra que Rick deixou pra trás tudo aquilo em que tentava acreditar, o estilo pacífico que tentava sustentar. E vale citar novamente a atuação de Andrew Lincoln, que novamente se destaca. O simbolismo é ratificado pela cena em que o mesmo entrega uma pistola a Carl e volta a vestir seu coldre (mesmo já o tendo feito no episódio passado, o que de certa forma tira o peso desse momento). Será que finalmente teremos o velho Rick Grimes de volta? Torço para que sim.


No mais, uma série que já teve o Governador como vilão (e aqui devo abrir mão do que falei no último parágrafo de minha review passada), não pode se sustentar com uma epidemia como antagonista. Espero que isso seja o pano de fundo para algo maior. Ainda gosto de você The Walking Dead, não me decepcione.


O CINÉFILO SANTISTA não existe sem você, leitor! Curta o post, compartilhe o link da review, siga a nossa fanpage no Facebook, é só clicar AQUI!

Ajude o blog a manter-se ativo por muito tempo :)

Comentários

  1. Eu fiquei um pouco mais animada com o episódio, mas continuo achando que a série precisa melhorar muito mesmo. Concordo plenamente que os personagens Tyreese e Michonne estão sendo mal aproveitados. Eu li parte dos quadrinhos e esses personagens são muito marcantes, mas na série são muito superficiais. No caso da Michonne, na temporada anterior ela foi melhor trabalhada, mas agora está meio esquecida. O Tyreese então, dá até raiva, a série em momento algum tenta se aprofundar. Confesso que ando muito exigente, mas eu também continuo gostando da série, e acho que pode melhorar muito.
    Acho que as cenas de suspense com a ameaça dos zumbis ainda continuam sendo as melhores, fiquei muito tensa com os momentos de escuridão de zumbis à solta na prisão.
    E por fim, sem dúvida, a cena do Rick e os porquinhos foi a melhor do episódio, excelente, muito bem feita.
    Abs,
    Fabiana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Fabiana, essa cena inicial do ataque dos walkers no pavilhão foi bastante tensa. Foi o melhor do episódio junto com a cena do Rick e os porcos.

      Obrigado por sempre estar presente visitando o blog e comentando!

      Abraços!

      Excluir

Postar um comentário

Gostou, não gostou, quer conversar sobre? Comenta aí!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...