The Walking Dead - S03E07 - When the Dead Come Knocking

Merle, o vilão que amamos odiar
Spoilers!!! Run!!!

Que ótimo episódio tivemos essa semana! The Walking Dead caminha para seu intervalo  (a série exibirá o S03E08 na semana que vem, e depois retorna apenas em fevereiro de 2013) prometendo grandes momentos. A tensão foi crescente desde o primeiro minuto, e os personagens vão sendo desenvolvidos de forma fluida e coerente. Quanta diferença para a temporada passada.

E vamos ao que interessa, que grande cena a de abertura. Glenn sendo interrogado por Merle, com Maggie escutando tudo da sala ao lado. A fotografia escura, com focos de luz quase que exclusivos das poucas luminárias em cena, ajudaram a construir todo o clima, que  me fez temer pelos personagens durante todo o capítulo. E nesse sentido, o título do episódio não poderia ser mais propício (algo como "quando a morte está batendo à sua porta").



Demorou para Merle retornar a TWD, mas o cara voltou com tudo. Cruel, violento, sarcástico, irônico, o tipo de vilão que amamos odiar, e que cada vez mais ganha importância para a trama. Tenho minhas dúvidas, porém, se a fidelidade dele será do Governador. Quando questionado pelo mesmo, Merle hesitou em responder, e sabemos que a sinceridade não é uma das características marcantes do irmão mais velho de Deryl.

Outra coisa que me agradou bastante foi a direção de Daniel Sackheim, que soube utilizar dos recursos de fade in e fade out com grande naturalidade, em pró da narrativa, trazendo uma identidade visual interessante para o episódio.

E se eu temia pela vida de Gleen, que grata surpresa vê-lo, amarrado, se livrando do errante largado lá para devorá-lo. Uma cena angustiante e de muita tensão, do tipo que só TWD (e também Breaking Bad!) entrega ao espectador atualmente. Desafio a quem curte o personagem não ter vibrado junto com ele na cena do quadro abaixo (e a imagem retrata o que aconteceu com perfeição, com os móveis jogados para todos os lados, mostrando o resultado da batalha enfrentada). Uma mistura de raiva e vitória!

Glenn WINS!
Ainda em Woodbury, dois pontos merecem ser comentados. O primeiro, claro, Andrea. Como de costume, a série não perde a oportunidade de usar a moça como apelo sexual. Não que ela não funcione como eyecandy, mas a personagem já significou muito mais para a trama em si, do que têm significado agora. Entendo que, no momento, ela faz o papel dos olhos do espectador, descobrindo junto conosco a tudo que acontece em Woodbury, mas espero pelo retorno da Andrea badass.

O segundo ponto é o Governador, cada vez mais detestável. Ao contrário de Merle, que desperta simpatia nos espectadores, Philip só desperta desprezo (ao menos de minha parte), muito por causa de seu jeito sádico de agir. A forma como lidou com Maggie exemplifica muito bem isso (já me disseram que nos quadrinhos alguma personagem é estuprada, acredito que a cena deva ser uma referência direta a isso, ainda que os criadores tenham preferido amenizar a situação, visto que falamos de uma série de TV que pretende atingir a um grande público).

Andrea sensualizando, de novo...
... e o Governador sendo... o Governador.

Na prisão, tivemos um encontro interessante entre Rick e Carol. Singelo, mas tocante. Da mesma forma que o diálogo do xerife com seu filho, batizando a filha recém nascida de Judith (eu preferia Little Ass Kicker, mas... fazer o que?).

Também tivemos o derradeiro encontro de Michonne com o nosso grupo de heróis. E essa foi a primeira vez que a garota trocou algumas frases com outros personagens, sem exibir seu constante (ainda que presente) mau humor. A cara que ela fez quando o Deryl apontou a besta na sua fuça foi excelente! Lembrei das caras que o T-Dog fazia quando dava merda. A diferença é que a interprete de Michonne é uma atriz minimamente talentosa (ainda que as caras e bocas sejam de doer). Já o de T-Dog...

Sossega aí Michonne! Daryl RULES!
Eis que Rick monta seu time de elite e vai ao resgate de Glenn e Meggie. E se a cena na cabana foi totalmente descartável (o que foi aquele velho dizendo que ia chamar a polícia? WTF?!), me preocupa o fato de apenas os mais "fracos" terem ficado na prisão. Em especial com o Governador já tramando a invasão no local. Imagine se o pessoal de Woodbury chega na prisão antes do xerife e cia. Só vai ter o Carl pra dar headshot e o Hershell para dar muletada.

A cena do grupo (a nata entre os matadores de zumbis) encarando a entrada da vila foi sensacional. A trilha sonora de aventura crescente, parecia que o bicho ia pegar. Daí cortou pro casal 20 (Andrea e Governador) e o episódio terminou em um anti-clímax absurdo. Uma pena, tinha potencial pra ser épico. Mas acredito que isso tenham sido guardado para o próximo episódio.

Falta muito pra próxima semana?

Tá chegando a hora! Apostem suas fichas.

Obs: Todas as fotos do post são clicáveis. Clique, amplie e veja com mais clareza os detalhes comentados no texto. Fiquem à vontade também para utilizar a aba de comentários para opinar sobre o review e o episódio em si. Críticas, sugestões e elogios são sempre bem vindos :D Se gostou, ajude a divulgar o blog, curta, compartilhe. Você também pode assinar o FEED do CINÉFILO SANTISTA e receber todos os novos posts por e-mail. Basta clicar no link laranja (ao lado da logo do Facebook, na coluna da direita) e cadastrar seu e-mail :D

Comentários

Postar um comentário

Gostou, não gostou, quer conversar sobre? Comenta aí!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...