Game of Thrones - S03E07 - The Bear and the Maiden Fair


[spoilers]
Game of Thrones volta em seu sétimo episódio da temporada no mesmo ritmo do capítulo anterior, lento e sem grandes acontecimentos de impacto. Ou talvez, não tão impactantes quanto alguns que vínhamos assistindo. Continuo gostando bastante desse 3º ano, mas um S03E08 mais eletrizante não cairia mal no momento. O preview promete, aguardemos.

Jaime

E não é que Jaime segue sua jornada de redenção a passos largos? Pela primeira vez acreditei nele, quando disse que entregaria as meninas Stark de volta para Catelyn. Eu duvidava que ele deixaria Brienne para traz, mas não imaginava que seria algo tão legal de se ver. A aproximação e diálogo do Regicida com o meistre fez o mesmo perceber que a amazona corria riscos por conta de sua mentira sobre as safiras. A mim pareceu a justificativa que o Lannister precisava para voltar correndo para buscá-la, e assim o fez. Que grande cena a do resgate de Brienne. E GoT volta a mostrar o primor técnico de sempre, ao ponto de quase me fazer acreditar que os atores estavam, de fato, frente a frente com um urso. O diálogo que encerrou o episódio, mostrando que o personagem esta voltando a erguer sua confiança inabalável, foi a cereja do bolo.

Jon

Já disse algumas vezes que o núcleo dos selvagens não tem sido meu preferido durante essa temporada. No entanto, gostei do rumo que as coisas tomaram por enquanto. Ver Jon Snow tentando trazer Ygritte para a realidade foi interessante, afinal, o que garante que os selvagens terão sucesso em sua empreitada, se não a própria ignorância daquele povo? Mas posso estar errado. O que não funcionou pra mim foi a tentativa de criar um "rival" para o Bastardo, no que diz respeito ao coração da ruivinha. Não sei se isso existe nos livros, mas ficou caído.


Bran

A semelhança das locações onde estão Bran, Rickon e seu grupo, com as de Snow e os selvagens foi a única coisa que me motivou durante a trama dos caçulas, pois me parecia iminente que os irmãos se encontrariam novamente. Mas não passou de uma esperança frustrada, e a cena só rendeu para descobrirmos um pouco mais do passado de Osha.

Arya

Após a partida de Gendry (que já está as margens de Porto Real, tomando um choque de realidade de Melisandre), pouco restou para Arya, sozinha, perante a Irmandade. Em sua tentativa de fuga, após perceber que demoraria ainda mais para chegar a Correrrio, a pequena acaba capturada pelo Cão de Caça. E só Deus sabe o que pode acontecer a partir daí, mas duvido muito que o gigante fará algum mal a valente garotinha.

Tyrion

Ainda abalada pela notícia de seu iminente casamento com Tyrion, Sansa é "consolada"  por Margaery, que tenta mostrar para desiludida e inocente jovem Stark, que o anão não é de todo mal. Ao Meio-Homem, por sua vez, só restou tentar se acertar com Shae, que vive uma grande crise de ciúme, trama que fica aquém do potencial que os personagens têm. Já Tywin segue movendo suas peças no jogo de xadrez da Mão do Rei, dessa vez, frente a frente com o cada vez mais odioso Joffrey. E se o diálogo e interpretações dos atores foi ótimo, como de costume, toda a construção da cena foi igualmente genial. Primeiro acompanhamos o patriarca Lannister, diminuído pela presença do Rei em seu trono, mas a medida que a conversa se desenrola, Tywin lentamente sobe os degraus do Trono de Ferro, e se agiganta para cima do neto, que claramente o teme. E foi interessante perceber que o reino não esqueceu que Daenerys se aproxima, ainda que não tenham noção do tamanho do perigo que ela representa.


Robb

O Rei do Norte parece não se cansar de complicar ainda mais sua posição perante Lorde Frey. Se não bastasse ter casado com a enfermeira, estando juramentado a uma de suas filhas, ele agora a engravida. E ainda que seja claro, e belo, perceber que ambos estão apaixonados (se bem que mantenho meu pé atrás com ela), coisas boas não parecem estar por vir disso. Que o Senhor da Luz salve a casa Stark.

Theon

Pobre Greyjoy. Ou não. A abertura de GoT, que sempre mostra Winterfell em cinzas, me  faz lembrar episódio a episódio de sua traição, e não me deixa perdoá-lo por nada. E nem mesmo sentir pena do que anda acontecendo com o mesmo. Se bem que, dessa vez.... Parece não existir limites para a crueldade de seu torturador, e mesmo sabendo que algo de bom não viria das duas ninfetas que ali estavam se esfregando em Theon, era impossível não se empolgar com a situação, afinal a carne é fraca. No fim, parece que temos um novo eunuco em Westeros.

Daenerys

A Mãe dos Dragões é sempre garantia de grandes momentos para a série, e nesse The Bear and the Maiden Fair não foi diferente. Sua cena com seus "filhotes" (que novamente evidencia a qualidade dos efeitos digitais de GoT) foi monstruosa, mostrando que seu poder aumenta a passos largos, passando a ser temida por todos. E ainda que a mesma demonstre certa soberba e auto-confiança em demasia, as características são balanceadas pelo fato dela querer a libertação dos escravos de Runkai. Mesmo que pareça que tal libertação tenha o intuito apenas de aumentar seu exército. E Khaleesi aos poucos se aproxima de Porto Real.

Até semana que vem!


Clique AQUI e curta a fanpage do CINÉFILO SANTISTA no Facebook!

Comentários

  1. Sério que vc achou arrastado? Rs. Adorei o episódio! Teve todo mundo (Daenerys, Tyrion, Arya, Robb, Jon Snow, Jaime, Bran, Joffrey, Sansa) e os rumos estão ficando sensacionais... Estou absolutamente viciada em Game of Thrones!!! >>> Adorei seu blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Andréa :)

      Achei o ritmo um pouquinho lento sim, mas não quer dizer que o episódio não tenha sido bom. Rs. Game of Thrones, mesmo quando é mediano (não foi o caso) é melhor que muitas séries que estão no ar. E olha que tem muita série boa atualmente.

      Volta mais vezes no blog ;)

      Excluir

Postar um comentário

Gostou, não gostou, quer conversar sobre? Comenta aí!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...