7 Filmes de Robin Williams


Ontem foi um dia triste para o Cinema, mais um em 2014. No início da noite recebíamos a notícia de que Robin Williams havia falecido, aos 63 anos. A causa de sua morte ainda é indefinida, ainda que haja suspeitas de suicídio. Particularmente, pouco importa a causa no momento, nos resta apenas a saudade e a gratidão por um ator que nos fez rir e chorar por anos através da 7ª arte. A comoção nas redes sociais foi instantânea e justificável, afinal, a grande maioria dos internautas de hoje em dia viveram sua infância na era de ouro do ator, a década de 90.

Pensando nisso, e em forma de singela homenagem, resolvi listar 7 filmes que considero indispensáveis na filmografia de Williams, seja para rever e matar a saudade ou para passar a conhecer o trabalho desse grande ator. Reparem que listei as obras em ordem cronológica, comprovando a meteórica ascensão do mesmo no fim da década de 80 e decorrer da década de 90, como já citei. É claro que outros grandes filmes ficaram de fora, mas não daria pra listar todos aqui. Perdemos outro nome icônico da indústria cinematográfica, mas seu trabalho permanecerá conosco para sempre.


Bom Dia, Vietnã foi um marco na carreira de Williams, o filme que o projetou para o estrelato e que lhe rendeu sua primeira indicação ao Oscar. Na trama ele viveu um radialista do exército norte-americano no Vietnã que se destacava por sua fala rápida e humor ácido e irônico. Seu estilo fazia sucesso com os soldados, porém incomodava os superiores que o tinham como uma ameaça a seriedade da corporação. A obra retrata alguns dos momentos tristes da guerra, além de reservar espaço para um romance inesperado. Indispensável para quem gosta da temática e do trabalho de Williams.


Esse talvez seja o filme mais memorável de sua filmografia e que lhe rendeu sua 2ª indicação ao Oscar, sem diminuir nenhum de seus outros grandes trabalhos. Williams aqui vive um professor de literatura no fim da década de 50, que dá aula para uma escola preparatória extremamente conservadora. Seu método de ensino não convencional, que estimula os alunos a pensarem e criarem sua própria visão do mundo, incomoda a direção do colégio que passa atravessar seu caminho. Momentos como os da devoção de seus alunos ao subirem nas mesas para homenageá-lo recitando "Oh Captain, My Captain..." tornaram Sociedade dos Poetas Mortos um filme inesquecível na vida de muita gente.


Aladdin, como a maioria das animações Disney, foi um sucesso estrondoso de público e bilheteria. Williams faz parte desse sucesso, pois foi o dublador que deu vida ao Gênio, o principal alívio cômico da obra. Talvez esse seja o trabalho menos conhecido do ator aos olhos dos brasileiros, visto que costumeiramente assistíamos a essa animação em sua versão dublada, eu mesmo nunca assisti Aladdin em sua versão original. Talvez seja uma boa hora para fazê-lo.


Como não lembrar do pai que se disfarça de uma velha babá para ficar próximo de seus filhos, mantidos a distância por sua ex-esposa após o divórcio? Lembro-me de assistir Uma Babá Quase Perfeita a exaustão em minha infância e me divertia todas as vezes. Talvez seja o longa que melhor aproveitou o potencial humorístico de Williams, além de apresentar um trabalho de maquiagem bastante impressionante para época. É o típico filme família, divertido e que pode te emocionar. O tipo de obra que quando re-assistida provavelmente apertará a saudade de seu protagonista.


Que menino ou menina que cresceu na década de 90 não gosta de Jumanji? Uma obra com espírito de aventura e que trata a criança com respeito, sem menosprezar sua inteligência. A premissa é muito bacana, o personagem de Robin Williams, ainda garoto, encontra um antigo jogo de tabuleiro perdido e convida sua amiga para jogar. Eles apenas não sabiam que o jogo é mágico e perigoso, tornando real todo o tipo de obstáculo que nele é proposto (o sonho de qualquer jogador de RPG imagino). Os efeitos especiais foram um show a parte na época e resistem bem a uma re-visita.


Esse filme do diretor Gus Van Sant (Inquietos) rendeu a Williams seu único Oscar da carreira. Seu papel era o de um terapeuta que tratava do personagem de Matt Damon (Compramos um Zoológico), um jovem gênio da matemática não descoberto, cheio de problemas emocionais. Confesso que assisti essa obra uma única vez, há muito tempo atrás, ainda muito novo. Lembro que gostei muito e que foi marcante na minha jornada como cinéfilo. Certamente essa é uma boa hora para assisti-lo novamente.


Patch Adams - O Amor é Contagioso narra a história real Hunter "Patch" Adams (Williams), um homem recém saído de um sanatório após uma tentativa de suicídio e que então decide estudar medicina. Durante seus anos na universidade, Patch passa a utilizar métodos inovadores no tratamento de seus pacientes, usando de alegria e bom humor como forma de auxilio a cura. Obviamente seus métodos incomodam alunos e docentes extremamente conservadores, mostrando que o tipo de papel desbravador foi algo recorrente na carreira de Willians.

Comentários

Postar um comentário

Gostou, não gostou, quer conversar sobre? Comenta aí!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...