DROPS CS #05


O DROPS CS é uma nova proposta do Cinéfilo em Série, onde escreverei brevemente sobre alguns filmes que assisti recentemente, mas que não tive tempo de escrever uma crítica detalhada. Trata-se de uma opinião mais informal, mais passional, uma indicação, ou não. Vamos lá?


As Sessões (The Sessions, 2012)

Foi uma grata surpresa assistir As Sessões, por se tratar de um filme extremamente carismático, mas que aborda assuntos complexos e interessantíssimos para debate posterior, mas o faz de forma leve e carismática. O trio principal de protagonistas está muito bem. John Hawkes (Inverno da Alma) vivendo o protagonista que não possui os movimentos do corpo e deseja explorar sua sexualidade. O ator encarna um tipo inteligente, culto, mas com certa inocência e vulnerabilidade, ditadas pela condição física do personagem e uma voz desprovida de malícia. Helen Hunt (Náufrago) se desprende de qualquer vaidade ou constrangimento, atuando em cenas de nu frontal com extrema naturalidade e confiança - não a toa foi indicada ao Oscar. William H. Macy (Fargo), por sua vez, soa divertidíssimo em seus dilemas como padre e conselheiro. Uma obra tocante, merece a visita.





Inquietos (Restless, 2011)

Atraído por seu belo pôster promocional (sim, isso acontece comigo frequentemente) fui assistir Inquietos na expectativa de conferir um romance adolescente padrão, mas fui surpreendido por uma temática fúnebre constante, que dá uma atmosfera quase única ao filme de Gus Van Sant (Elefante). Enoch (Henry Hopper) é um jovem que tem uma estranha fascinação pela morte, constantemente visitando velórios de desconhecidos. Em um deles acaba conhecendo Annabel (Mia Wasikowska), e desse encontro nasce uma relação fadada ao término, visto que a garota possui câncer terminal. É uma espécie de A Culpa é das Estrelas, mas muito menos romantizado e com discussões sobre vida e morte que te deixará refletindo por um bom tempo após sua conclusão.







Spring Breakers - Garotas Perigosas (Spring Breakers, 2012)

Como não assistir um filme que traz Selena Gomez e Vanessa Hudgens 95% do tempo de biquíni? Com um plus de James Franco gângster. Brincadeiras a parte, Spring Breakers mostra-se um exercício de linguagem interessante, que não se rende ao fácil e busca certa reflexão. Uma crítica até certo ponto assustadora da juventude atual que (não em sua totalidade, é claro) rende-se a futilidade e ao rebeldismo sem limites. Franco, aliás, está muito bem em seu papel, o que me surpreendeu. Vale conferir, mas não espere um filme de clichês, ele consegue ser um pouco melhor que isso.



Comentários

Postar um comentário

Gostou, não gostou, quer conversar sobre? Comenta aí!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...