CRÍTICA | O Lobo Atrás da Porta


Diretor: Fernando Coimbra
Roteiro: Fernando Coimbra
Elenco: Leandra Leal, Milhem Cortaz, Fabiula Nascimento, Juliano Cazarré e Thalita Carauta
Origem: Brasil
Ano: 2013



Muito se fala que o Cinema nacional não produz filmes de gênero para o grande público (no circuito independente a história é outra). Em parte, até concordo, visto que por alguns anos nos acostumamos com dois tipos de produções: aquela que retrata o crime e a violência no país, ou as comédias pastelões que encontraram em Leandro Hassum seu maior representante, infelizmente. Felizmente, porém, há filmes como este O Lobo Atrás da Porta, ou mesmo o recente lançamento Entre Abelhas, estrelado por Fábio Porchat, que remam contra a maré e se arriscam a sair desse lugar comum.

Na trama, quando Sylvia (Fabiula Nascimento) vai à delegacia dar queixa do sequestro de sua filha na creche, Bernardo (Milhem Cortaz) - seu marido - é chamado para depor. Durante o depoimento, acaba revelando que possui um relacionamento extra-conjugal, e sua amante, Rosa (Leandra Leal) acaba se tornando a principal suspeita do crime. A pergunta é: as aparências revelam o que realmente aconteceu nesse caso?

Com movimentos de câmera instigantes e uma montagem que foge do padrão nacional, Fernando Coimbra constrói um thriller de suspense que prende o espectador a todo momento, usando os enquadramentos à favor da narrativa e sabendo utilizar muito bem o recurso de flashbacks. O diretor, em seu longa-metragem de estreia, mostra-se conhecedor de técnica cinematográfica, entregando um filme coeso, dinâmico e arrojado, somado ainda a uma trilha sonora apropriada, que dita o sentimento de cada cena.

O roteiro, também escrito por Coimbra, evita apostar em soluções fáceis para entregar aquilo que o espectador espera, e esse talvez seja seu grande trunfo. Não espere que O Lobo Atrás da Porta entregue soluções convencionais para os enigmas que a trama expõe, pelo contrário, espere ser surpreendido pelo que está por vir. E qualquer coisa que eu possa dizer além disso pode ser considerado spoiler, então paro por aqui.

No elenco, destaca-se a presença de Leandra Leal (Mato Sem Cachorro), que entrega uma personagem cheia de nuances, livre de qualquer esteriótipos, que certamente mexe com a percepção do espectador com relação à suas atitudes em cena. Milhem Cortaz (Tropa de Elite 2), por sua vez, soa deveras caricato em determinados momentos, o que não torna seu trabalho aqui tão memorável como em outras oportunidades. A surpresa certamente é Thalita Carauta (S.OS. Mulheres ao Mar), que surge como uma espécie de alívio cômico da trama e cai como uma luva para não mergulhar o espectador na obscuridade que a narrativa propõe.

Por tudo que entrega em pouco menos de duas horas de duração, O Lobo Atrás da Porta se mostra um suspiro artístico do cinema nacional, que atualmente mostra-se ávido por grandes bilheterias e esquece aquilo que faz do audiovisual fascinantes, a capacidade de mexer com nossa emoção e percepção de maneira única. Não que as comédias pastelões ou os filmes que exaltam a violência no país não consigam fazer isso, alguns conseguem, mas é preciso diversidade em nossas salas de cinema, e esse é um belo exemplar.

Ótimo


_____________________________________________________________________________________________________

 Trailer: 




O Festival Sesc Melhores Filmes acontece de 5 a 10 de maio, em diversas cidades do Estado de São Paulo. O Cinéfilo em Série está cobrindo os eventos realizados em Santos/SP à convite do Cine Roxy, ao qual deixo meus sinceros agradecimentos. Para conferir a programação completa do Festival, é só clicar AQUI.

Comentários

  1. jaime mata nada. ele só tá nervoso pq foi passado pra trás pelo irmão.
    ele ama mto o tyrion.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou, não gostou, quer conversar sobre? Comenta aí!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...