Game of Thrones 5x04 | The Sons Of The Harpy


[spoilers]

E finalmente chegamos ao 5x04 dessa temporada de Game of Thrones, o último a ter vazado dias antes da estréia da season premiere. Tratando-se claramente de um episódio de transição, The Sons of The Harpy se mostra irregular, por explorar cenas de ação desinteressantes com diálogos que pouco moveram a estória. Eu posso me arrepender disso, mas acho que está na hora de algum acontecimento impactante ditar o ritmo dessa temporada.


Jaime
Em sua jornada para resgatar a princesa Myrcella, o Regicida finalmente chegou as terras de Dorne (cidade que, aliás, ganhou representação no nosso fantástico mapa de abertura, notaram?). E foi bacana vislumbrar locações bem diferentes do que estamos acostumados a ver na série, visto que boa parte das cenas se passaram em praias e dunas. Gostei particularmente da luta de Jamie e Bronn contra os 4 guardas locais. Enquanto o segundo continua hábil e fanfarrão com a espada na mão, o primeiro luta bravamente consigo mesmo, na esperança de se adaptar a perda da mão de combate. O desfecho da cena é bem interessante.

Não muito longe dali, conhecemos brevemente as filhas do falecido Oberyn Martell, no momento mais teatral do episódio, algo que me afastou um pouco das personagens.

Vale citar também: Jamie feliz ao passar pela terra natal de Brienne e, também, seu discurso sobre matar Tyrion se encontrá-lo. Estaria falando sério?

Tyrion
O Meio-Homem, sequestrado por Jorah Mormont, também teve um bom momento. Foi engraçado vê-lo identificar seu sequestrador usando apenas seu poder de observação, mas sua sagacidade constante resultou em um safanão bem dado por Mormont.


Jon
E mais uma vez Snow teve sua lealdade à Patrulha da Noite testada. E que teste amigos. Dificil resistir a Melisandre, ainda mais daquela forma. Prova de que, apesar de bastardo, Jon é o que mais se assemelha ao pai, Ned. Sua honra é inabalável, e isso pode custar caro na guerra dos tronos.

Ainda na muralha, segue o projeto da temporada em nos fazer amar Stannis. Sua cena com Shireen foi talvez o melhor momento do episódio. A garotinha, que é boa atriz, conseguiu me emocionar, e é bacana ver o Baratheon em um momento de afeto com a filha.

Cersei
Em Porto Real, tivemos mais momentos do "reinado" de Cersei. Confesso que toda essa trama da Fé Militante não têm chamado minha atenção, tenho achado um plot bem desinteressante, mas espero ser surpreendido no final. Quem mais sofre com isso é o Rei Tommen, que é facilmente manipulado por Cersei e Margaery. A prisão de Sor Loras deve acirrar essa rivalidade pela preferência do jovem "Baratheon".


Sansa
Não havia me dado conta no episódio passado que a jovem Stark está de volta à Winterfell. Foi muito bacana vê-la prestando respeito aos seus antepassados, algo que vimos Ned fazer na primeira temporada. Mindinho, que está prestes a se digirir a Porto Real, contou um pouco mais sobre o misterioso passado de Lyanna, o que deve fomentar novas teorias. E, de fato, Sansa está aprendendo a manipular com o melhor manipulador de Westeros.

Daenerys
Em Meereen, outra trama não tem me empolgado: os Filhos da Harpia, que dão nome ao episódio. Não está claro pra mim quem eles são e a finalidade de suas ações. Além disso, a a estagnação de Daenerys na cidade tem me desanimado, pois quero vê-la seguir em frente. Ao menos a chegada de Tyreon deve animar as coisas.

Destaque para o diálogo de Sor Barristan com a Mãe dos Dragões (a temporada tem reservado vários momentos pa história sobre o passado dos personagens), um momento de bastante ternura, além, claro da morte do mesmo e de Verme Cinzento. Uma pena que os personagens, apesar de interessantes, são secundários, o que diminui o impacto de suas perdas.

Até semana que vem!

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...