Game of Thrones 6x06 | Blood of My Blood


[spoilers]
"A calmaria que precede a tempestade". Frase clichê, mas que sempre cai como uma luva para aluns episódios de Game of Thrones. O ritmo frenético da primeira metade da temporada não havia permitido algo assim, mas o nível esse ano está tão alto que até episódios que poderiam ser considerados "medianos" estão acima da média, com acontecimentos marcantes demais para menosprezá-los. Vamos de review.

Bran
Começando exatamente de onde paramos na semana passada, vimos Meera desesperada, carregando Bran do jeito que podia pelas terras além da Muralha, fugindo dos white walkers. Eis que de repente, num passe de mágica, surgiu Benjin Stark, numa das cenas mais anti-climáticas que a série já teve. Desde o preview do episódio, liberado na semana passada, praticamente todos os fãs apostavam que o homem misterioso que surgiu seria Benjin, afinal, esperamos seu retorno desde a primeira temporada, sendo assim, sempre que o personagem aparecia com o rosto tapado soava tolo e desnecessário. Sua rápida explicação do que havia acontecido com ele nos últimos anos também me soou mal construída e até sem sentido, afinal, se ele está ciente de tudo que estava acontecendo, por que não se juntou a Bran antes? Enfim... o único ponto forte desse núcleo foram os "flashbacks" do jovem Stark, que não só atualizaram o personagem de tudo que aconteceu desde que deixou Winterfell, como também trouxe visões do tão falado Rei Louco e seu assassinato por Jaime Lannistes. Isso foi bem legal de ver.

Arya
Não é segredo pra ninguém que venho me decepcionando com a trajetória da Arya, muito em função desse eterno treinamento que a personagem está passando na casa do Preto e Branco. Quando parece que as coisas vão caminhar é como se estivéssemos jogando um jogo de tabuleiro e dessemos azar nos dados: "volte 2 casas", ou algo assim. Dessa vez, porém, parece que tivemos algo em definitivo. Arya se recusou a cumprir sua missão, salvando a atriz da pantomima e ainda acusando a mandatária do crime. Resgatou a agulha de seu esconderijo e agora apenas aguarda um possível confronto com sua rival "sem rosto". Aposto que só veremos a resolução disso tudo daqui a 2 episódios, vamos aguardar.


Daenerys
A aparição de Daenerys nesse Blood of My Blood teve dois intuitos. Primeiro, mostrar a necessidade da personagem em conseguir navios, o que faz a ligação direta com o episódio passado e a intenção do novo "rei" das Ilhas de Ferro. Ao mesmo tempo vemos uma motivação maior da Mãe dos Dragões em querer chegar a Westeros, algo que não víamos faz algum tempo. Essa estadia com os dothraki rendeu frutos. O segundo intuito foi dar um final impactante para o capítulo, algo que GoT vem valorizado temporada a temporada. Ainda que não tenha trazido nenhuma novidade, é sempre incrível ver as aparições de Drogon, e dessa vez Khalessi parece estar de vez no comando do dragão.

Sam
A chegada de Sam a Monte Chifre, definitivamente, foi o que mais gostei desse 6x06. Conhecer um novo cenário no reino de Westeros é sempre muito interessante, mas, além disso, pudemos conhecer um pouco da família Tarly. Logo de cara ficou evidente de onde Sam tirou sua personalidade doce e amigável, sua mãe é assim, bem como sua irmã. Ambas receberam Gilly de braços abertos, ao contrário do patriarca, Lorde Randyll Tarly. Seu preconceito para com os selvagens e o desprezo que tem pelo próprio filho renderam uma grande cena à mesa do jantar. Adorei ver como Gilly, criada longe de Lordes e Reis, não pensou duas vezes ao confrontá-lo a mesa, mesmo que isso tenha piorado a situação. Entendemos também porque Sam carrega tanta insegurança em sua personalidade, fruto do constante destrato do pai. É bacana notar, no entanto, que sua amizade com Jon, sua experiência na Patrulha da Noite e, especialmente, sua relação com Gilly, têm trazido um sopro de coragem e ousadia para o personagem. O quão empolgante foi vê-lo voltar para a amada e roubar a Veneno de do Coração, espada de aço valiriano da família? Estou ansioso pelo destino de Samwell Tarly.


Jaime
Em Porto Real, que bela cagada (na falta de um adjetivo melhor) fez o Rei Tommen, não é mesmo? Extremamente manipulável, como de costume, o jovem "Baratheon" se deixou levar pelas palavras de Margaery e se aliou ao Alto Pardal, unindo a Coroa e a Fé dos Sete. O pior de tudo é perceber no olhar de sua Rainha, que ela não esperava pela ação da Guarda Real e de seu pai. Pra mim ficou evidente que Margaery manipulou Tommen na intenção de se livrar das penitências e voltar ao poder, mas se arrependeu um pouco ao notar que poderia se safar sem precisar da aliança com o Alto Pardal.

Jaime, por sua vez, foi retirado do posto de Comandante da Guarda Real e ordenado por Tommen a negociar com o Peixe Negro na esperança de resolver o conflito que se desenha no Norte. Se levarmos em conta que Brienne foi enviada por Sansa para também negociar com Peixe Negro, podemos ver o encontro desses personagens mais cedo do que esperávamos. A cena do Regicida com Cersei também foi bastante intensa, reforçando a paixão de ambos e cede de tomar de volta o que eles haviam conquistado. O julgamento de Cersei se aproxima, e será por combate!

Game of Thrones desenha uma temporada impecável até aqui. Espero que continue assim, pois não há nada melhor do que ver uma série que você ama encaminhar-se para seus momentos finais em alto nível. Até semana que vem!

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...