Game of Thrones 6x09 | Battle of the Bastards


[spoilers]

Não sei se já comentei aqui alguma vez, mas gosto de escrever as reviews de Game of Thrones no calor do momento, assim que termina o episódio. Evidentemente isso trás prós e contras, pois deixo a emoção falar mais alto em muitos momentos. Hoje foi um dia atípico, pois foi impossível escrever sobre Battle of the Bastards sem antes tomar fôlego de aproximadamente 1 hora e meia. A tradição do episódio 9 segue inabalada, e mais um belo capítulo da história televisiva foi escrito. Vamos de review.

Daenerys
Foi com muita surpresa que recebi o núcleo de Daenerys nesse episódio. Achava que só veríamos novamente a Mãe dos Dragões no season finale e teríamos a história totalmente centrada no Norte. Ledo engano. A resolução dos ataques em Meereen foi bonito de se ver, ainda que tenha empalidecido perante o restante do 6x09.

Foi muito interessante rever Tyrion aconselhando Daenerys, lembrando do passado de seu pai e tentando fazer com que ela não siga os mesmos passos. E ainda que tenha me parecido um pouco forçado os 2 dragões aprisionados terem se unido tão facilmente à sua mãe, é inegável que a cena em que juntos atacam os inimigos foi sensacional. Se antes havia disputa pelo controle de Meereen, agora não há mais. Não fosse o bastante, ainda restou tempo para os Greyjoy chegarem ao local e firmarem um acordo com a Targaryen, que mostrou-se no mínimo curiosa pelo interesse de Yara. Temos um novo shipp à vista?


Jon
Após o excelente promo da semana passada, foi difícil conter a ansiedade para a Batalha dos Bastardos. E que bom que a espera e a expectativa foram recompensadas. Não é exagero nenhum dizer que nunca vimos algo parecido na TV, e provavelmente demorará até vermos algo equivalente. Os produtores prometeram e entregaram momentos que, acredito, nenhum fã reclamará. E sobre cada um deles falarei abaixo.

Começando pelo encontro pré-batalha, adorei o fato de Jon propor o combate mano a mano com Ramsay. Serviu para mostrar perfeitamente as diferenças dos dois. O primeiro, honrado - como o pai -, o segundo covarde e sádico como já estamos acostumados. Sansa, por sua vez, continua numa crescente que tanto esperávamos, jurando o marido de morte. Nesse ponto a tensão crescia a cada minuto de episódio.

Acredito que muitos esperavam que o destino de Rickon fosse morrer pelas mãos de Ramsay, mas talvez não dessa forma. Sádico como sempre, o bastardo Bolton fez questão de usar a carta que tinha na manga para não só desestabilizar Jon, mas também atraí-lo sozinho ao campo de batalha. O plano funcionou, o caçula Stark morreu e nosso comandante quase pôs tudo a perder partindo em direção ao exército inimigo. Não que possamos culpá-lo, faz parte da natureza do personagem. E que cena fantástica aquela em que, após cair do cavalo, encara a tropa Bolton se aproximar a galope.


O que se deu a seguir foi, na minha opinião, a melhor representação cinematográfica (sim, isso é cinema) do desespero de participar de uma guerra desde O Resgate do Soldado Ryan. O plano sequência em que Jon derrota inimigos e desvia de tantos outros ininterruptamente foi de tirar o fôlego. Foi uma sequência de efeitos inesperados e absurdamente bem filmados. Ao passo que a batalha ia se desenrolando, a superioridade Bolton ficava mais evidente, e isso se mostrou no momento em que o exército inimigo fez o "cerco da morte".

A cena em que Jon é soterrado foi um dos raros momentos em que esquecemos que estamos vendo uma série de TV. Era como se estivéssemos lá, sem fôlego, junto com o personagem. Vê-lo sair do meio dos soldados para respirar (numa bela tomada aérea, alias) foi um alivio. Eis que chega, então, a aguardada ajuda de Mindinho, que muito me pareceu a chegada de Gandalf em O Senhor dos Anéis: As Duas Torres. A inspiração na obra de Tolkien é evidente e funciona, o que é mais importante. Com a vitória encaminhada, restava apenas acertar as contas com Ramsay, e dessa vez GoT não nos decepcionou.

Após se refugiar covardemente em Winterfell, o bastardo Bolton se viu surpreso com a chegada do gigante que, sem cerimônia, derrubou o portão do castelo. Pena que o grandalhão viria a sucumbir após ser alvejado por tantas flechas. Eis que Jon parte para cima do inimigo numa cena de tensão absoluta, tomando 3 flechadas no escudo Mormont que encontrou pela frente e derrubando Ramsay para socá-lo até não aguentar mais. E confesso que foi a primeira vez que me vi socando o ar junto com um personagem de uma série de TV. Jon, no entanto, teve "compaixão" e o deixou de presente para a irmã. Afinal, Sansa merecia esse momento. Ramsay foi feito de ração e Game of Thrones deixa sua marca na história da televisão. Até semana que vem.

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...