CCXP 2016 | Pernas, pra que te quero!


Recebi com alegria a notícia de que o credenciamento de imprensa do Cinéfilo em Série havia sido aprovado para os 4 dias de Comic Con Experience 2016. Pelo 2º ano consecutivo estaríamos cobrindo o maior evento de cultura pop da América Latina. E se você nos acompanha no Facebook, certamente já viu muitas coisas bacanas que estamos postando por lá, além de outras postagens que já fizemos aqui no blog. Nessa matéria eu irei falar um pouco sobre as experiências que vivi no primeiro dia de CCXP 2016 e dar algumas dicas pra você que pretende ir ao evento em 2017. Bora?

Uma das coisas mais bacanas de se ir como imprensa em um evento como esse é a chance de conhecer pessoas que trabalham com temas que você também trabalha. Ter a chance de aprender com essas pessoas e trocar experiências, especialmente para nós que somos um blog ainda pequeno é bastante gratificante. E nem estou citando a oportunidade de conhecer gente famosa no ramo, como a própria equipe do Omelete ou outros veículos de muitos fãs e admiradores como o Jovem Nerd, Matando Robôs Gigantes, Lully de Verdade, ou até mesmo veículos emergentes como o Portal Refil, e por aí vai. Toda essa galera que citei tive o prazer de esbarrar lá na feira de uma forma ou outra, e isso é muito, muito legal pra qualquer um que acompanha o trabalho dessa galera. E veja bem, estou falando como imprensa, mas qualquer pessoa que lá estava poderia esbarrar com qualquer um deles, esse é o ponto.

Cinéfilo em Série + Lully de Verdade
Cinéfilo em Série + Portal Refil

Nesse primeiro dia de evento a minha missão era conhecer o maior número possível de estandes e registrar o maior número de fotos. Aliás, se o seu foco no evento for a feira em si, os melhores dias para conhecê-la serão sempre a quinta e a sexta-feira, justamente por serem os dias de menor público (ainda que a quantidade de pessoas tenha aumentado do ano passado para cá). Se tiver a oportunidade de chegar na abertura dos portões, melhor ainda. É a sua oportunidade de visitar a grande maioria das atrações sem muita fila de espera e no auge da sua energia. E acredite, você precisa de muita energia para aproveitar o máximo da CCXP, pois o evento está gigantesco. Pernas pra que te quero!

Com esse pensamento pude visitar o estande de Rogue One e tirar fotos dos figurinos dos personagens, fazer a barba na barbearia da Gillette e ganhar um caderno de Star Wars de brinde, tirar fotos nos cenários interativos de Homem-Aranha: De Volta ao Lar, conhecer o castelo do Omelete e seu dragão. o Épricon, entre outros. E quem visitou a CCXP no ano passado e voltou em 2016, sabe muito bem, os expositores estão caprichando nas atrações. Cada estande de estúdio era literalmente uma atração a parte. Todos eles se preocuparam em ter algum cenário interativo para tirar foto ou proporcionar alguma experiência marcante, como o estante da Fox, por exemplo, que permitia que você experimentasse uma "sala de escape" inspirada em Alien: Covenant. O mais bacana é que aqueles que saissem vitoriosos do desafio ganhavam ingressos para a estréia do filme em IMAX. Tá bom ou quer mais?

Arte by Thobias Daneluz
Brindes e prêmios é algo bastante comum entre os estúdios na CCXP. No estande da Netflix, por exemplo, a cada atividade que você participava, você saía com um poster de alguma de suas séries originais, um bótom, ou até uma camisa temática, dependendo do nível do desafio que você enfrentou. Foi sem dúvida um dos estantes mais amados pelo público, repetindo o sucesso do ano passado.

Outro que vale a pena citar foi o estande de Game of Thrones, que trazia uma mini exposição com figurinos e objetos cenográficos da série, além de uma replica em tamanho real do Trono de Ferro, onde todo mundo podia tirar foto, bastava pegar a fila. Tudo muito bonito e caprichado.

Nesse primeiro dia também tive a oportunidade de conhecer um pouquinho mais do Artists Alley, localizado em espaço nobre do evento, literalmente no centro de tudo, como tem que ser, uma vez que foi dali que tudo se originou. Quem me acompanha há algum tempo, seja no blog ou no podcast, sabe que sou um apaixonado pela cultura pop, que admiro os quadrinhos, mas que tenho muito pouco conhecimento a respeito. No entanto, tive o prazer de acompanhar minha amiga Isabella Grocelli, do Falando Groselha, uma apaixonada por quadrinhos alternativos e independentes. Graças a ela pude conhecer um pouquinho mais a respeito do trabalho dos autores que lá estavam e fiquei empolgado em reservar uma graninha a mais para em 2017 adquirir algumas obras dos que lá estarão. Em 2016 prestigiei apenas o ilustrador Thobias Daneluz, conhecido por seus trabalhos no Omelete. Além de estar lançando uma HQ chamada Zoom, o rapaz vendia uma ilustração fantástico do Negan de The Walking Dead, com a já iconica frase em que chama sua Lucille de "a vampire bat." Não tinha como não levar pra casa. O lugar na parede já está reservado.

Antes de finalizar, vale citar o momento especial em que tive a oportunidade de cumprimentar e tirar uma foto com Renato Aragão, o icônico Didi Mocó. Os filmes dos Trapalhões fizeram parte da minha infância como poucos, daqueles que a gente tinha gravado em fita cassete (sim, estou ficando velho) e assistia em looping sem nunca cansar. Renato foi um dos poucos artistas convidados que atenderam os fãs sem a necessidade de pagamento em troca, ou seja, bastava entrar na fila e conhecê-lo, dar um abraço, um aperto de mão, tirar uma foto. O tipo de momento que torna a CCXP tão especial para todos que lá estão, vivenciando o épico.

Renato Aragão + Cinéfilo em Série

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...