HQ | O que temos para hoje de Jessica Jones


"As pessoas querem seus super-heróis e procuram em qualquer lugar para encontrá-los. Até em pessoas que usam máscaras."

A extensão da coleção de encadernados Os Heróis Mais Poderosos da Marvel finalmente traz um volume com Jessica Jones. A personagem praticamente terciária do universo Marvel conseguiu uma boa ascensão de popularidade com a sua série do Netflix no ano retrasado. Nesta coleção, em cada volume temos o foco em um personagem ou grupo específico, mas aqui, no volume de Jessica Jones, não temos as aventuras da anti-heroína em Alias, no selo Marvel Max, mas sim na revista Pulse.


Pulse se trata de uma nova sessão de textos que eles começaram nos jornais do Clarim Diário, tratando de super-heróis, algo comum no universo das HQs nos Estados Unidos. Jessica, que era detetive, consegue ser contratada para auxiliar. Isso já é bacana, pois o jornal tem um dos elencos de coadjuvantes mais legais que dá pra lembrar, incluindo o excêntrico J. Jonah Jameson e os heroicos homens comuns Robbie Robertson e Ben Urich. Proposta que já foi usada também com a mitologia de outros personagens famosos como Batman e Superman, mas, como já dito, o elenco de coadjuvantes do Homem-Aranha acaba sendo mais carismático, ainda mais tendo a Jessica Jones como novata na equipe.


O escritor Brian Michael Bendis conhece as pecinhas com que trabalha MUITO bem, já que foi o responsável por popularizar Jessica e Luke Cage em Alias e bateu recorde de colaboração com o desenhista Mark Bagley em Ultimate Spider-Man, que é considerada por alguns como a série definitiva do Homem-Aranha. Mas cuidado pra não se confundir ao ver o traço de Bagley! Pulse se passa no universo tradicional, e não no ultimate. Apesar do título do encadernado ser Jessica Jones, a história se trata de toda a equipe do Clarim Diário, em especial os relacionados com as reportagens da seção Pulse. Na segunda edição, por exemplo, a protagonista é uma jornalista novata chamada Terri Kidder, com a Jessica Jones nem aparecendo; também há momentos onde Ben Urich e Luke Cage têm mais atenção.


A dupla Bendis e Bagley trabalham melhor juntos do que Batman e Robin. A narrativa é muito boa, dá pra perceber que eles estão familiarizados com todo o conteúdo que estão trabalhando e sabem muito bem o que fazem. Há páginas duplas muito bem utilizadas e alguns momentos onde os desenhos da narrativa são mais experimentais e combinam muito bem com a proposta. A história consegue se manter interessante e ter até mais ação do que prometia. No final eles adicionaram um tipo de super-evento casual da Marvel: o casamento de Jessica Jones com Luke Cage! Claro que como em todo bom casamento de super-heróis, há celebridades de sobra convidadas.


É uma boa coletânea, divertida e recomendável, não somente para fãs da personagem, mas também para fãs da Marvel em geral, já que além de trabalhar bem vários dos personagens terciários citados na análise, também mostra eventos que são fundamentais para o universo da editora. Uma pena que a principal série que estabeleceu a personagem, Alias, da Marvel Max, teve só um volume de republicações e depois não continuaram mais. Isso foi anos antes dela ficar mais famosa com a série da Netflix. Aparentemente vão tentar republicá-la esse ano. Resta a nós torcermos para que não demore muito.

Nesse mês ela já esteve na primeira temporada de Os Defensores da Netflix, ao lado de Luke Cage, Demolidor, Punho de Ferro, Elektra, Stick e Justiceiro!

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...