CRÍTICA | As Aventuras do Capitão Cueca: O Filme

Direção: David Soren
Roteiro: Nicholas Stoller
Elenco: Kevin Hart, Thomas Middleditch, Ed Helms, Nick Kroll, entre outros
Origem: EUA
Ano: 2017


A amizade é algo fundamental na vida das pessoas e isso é levado quase como lema. Com a amizade, vem a cumplicidade, o hábito de fazer brincadeiras e a criatividade. E os amigos Jorge (Kevin Hart) e Haroldo (Thomas Middleditch) parecem levar isso como unanimidade. A dupla é tão "unha e carne" que têm a mesma ideia para pregar peças na escola e, na maioria das vezes, quem acaba sendo o alvo dos trotes é o diretor Krump (Ed Helms). Só que o diretor é linha dura e não tolera bagunça, pois acredita que brincadeiras atrapalham o bom andamento da escola. Por isso, ele pede ajuda ao gênio prodígio Melvin Sneedly (Jordan Peele), que o ajuda a construir um aparato para que possa separar Jorge e Haroldo de estarem na mesma turma, o que acabaria por abalar a amizade e fazer a quantidade de trotes diminuir.

Jorge, no auge do desespero, tenta hipnotizar o diretor usando um "anel hipnótico". A tentativa é bem sucedida e os garotos fazem o diretor acreditar que é um super herói criado por eles, chamado de Capitão Cueca.

O roteiro tem uma trama bastante linear, ou seja, não espere muito subtexto, mas consegue ser envolvente, já que humor é o que faz a trama ser carregada e o principal motivo para que você assista a animação. Ainda assim há momentos de reflexão, que indicam que as pessoas precisam aprender a rir de seus defeitos e aceita-los, ou o quanto a educação é pautada em fazer você decorar ciosas que não serão utilizadas no decorrer da sua vida.

Crédito: Fox Film do Brasil

A dublagem é muito bem feita e conta com um elemento surpreendente, pois é uma das poucas animações recentes que não tem a necessidade trazer algum ator famoso para duplar algum personagem na produção. Isso é algo de se aplaudir de pé, visto que, na maioria das vezes, a celebridade é utilizada para atrair público, deixando a desejar na parte técnica.

A direção de arte é muito bem feita, utilizando diversas técnicas de animação, seja 2D ou em flipbook, técnica onde você desenha os elementos quadro a quadro num bloco de papel passando folha a folha rapidamente. Uma sacada genial. Além disso, o 3D é bem explorado, utilizando a profundidade de campo de forma bastante satisfatória.

Apesar do uso e abuso de piadas infantis que se repetem inúmeras vezes, As Aventuras do Capitão Cueca: O Filme consegue divertir e entreter as crianças, ainda que não seja tão atrativo ao público adulto.

Ótimo

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...