CRÍTICA | Baseado em Fatos Reais

Direção: Roman Polanski
Roteiro: Roman Polanski e Olivier Assayas
Elenco: Eva Green, Emmanuelle Seigner, Vincent Perez, entre outros
Origem: França / Bélgica / Polônia
Ano: 2017


O novo filme de Roman Polanski (Deus da Carnificina) deixa uma sensação de oportunidade perdida. Baseado em Fatos Reais (D'après une histoire vraie) é uma adaptação do livro de mesmo nome escrito por Delphine de Vigan, e conta a história de Delphine (Emmanuelle Seigner), uma autora famosa que acaba de publicar um livro baseado em histórias sobre sua mãe, mas que se sente sozinha, passa por um bloqueio criativo e não consegue começar seu próximo trabalho. Ela então conhece L. (Eva Green), uma admiradora que parece compreendê-la mais do que os outros e que trabalha como ghost writer, escrevendo autobiografias de celebridades. A relação das duas logo se torna um amontoado de paranoias e acontecimentos suspeitos.

Não há nada de errado em filmes que possuem premissas básicas e, nesse caso, parecia muito interessante um thriller protagonizado por duas mulheres, que tratava dos conflitos entre elas e de suas relações com suas profissões. Faltou, porém, um estudo de personagem mais relevante, ainda mais se tratando de um roteiro de Olivier Assayas, responsáveis por trabalhos como Personal Shopper (2016) e  Acima das Nuvens (2014).

Crédito: Paris Filmes

O maior problema do longa reside justamente em seu roteiro. Todo filme, obviamente, depende da conexão do espectador com seus personagens para que se possa criar um vínculo e, daí, tornar a história relevante o suficiente para que exista a vontade de acompanhá-la até o final. No entanto, os personagens construídos aqui não têm dimensões, o que torna essa conexão quase impossível. Eles se deixam enganar por situações que são, na falta de palavras melhores, bobas e preguiçosas. Um suspense exige um roteiro que nos mantenha minimamente atentos e, embora a obra tenha reviravoltas, nenhuma delas é de fato surpreendente. Muito pelo contrário, todas as surpresas são bastante previsíveis. Fica a estranha sensação de que os envolvidos não estavam muito interessados em desenvolvê-lo, o que faz com que o espectador também não fique tão compilado a assistir.

Baseado em Fatos Reais ainda apresenta uma trilha sonora que, ao invés de ajudar a compor elementos e criar a atmosfera, parece apenas querer nos dizer o que sentir. A cena em que Delphine e L. se conhecem, por exemplo, é tão didática ao estabelecer o suspense e o mistério em torno duas que não faz nem um, nem outro.

É difícil encontrar elementos que funcionem aqui mas, para não deixar de destacar algo positivo, as duas protagonistas, Emmanuelle Seigner (A Pele de Vênus) e Eva Green (007: Cassino Royale) fazem o que podem para dar credibilidade as suas personagens, dentro dos limites impostos pelo enredo.

Crédito: Paris Filmes

Caso você queira assistir uma obra de Polanski que estuda os dramas da escrita, O Escritor Fantasma (The Ghost Writer, 2010) continua sendo a melhor opção. Sem inspiração e cuidado, Baseado em Fatos Reais não deixa nada com o espectador além de uma história vazia, com personagens unidimensionais e um roteiro mal construído, que nos faz perguntar o quão mais interessante ele poderia ter sido, caso tivesse caído nas mãos de outros realizadores.

Regular

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...