CRÍTICA | Gosto Se Discute

Direção: André Pellenz
Roteiro: André Pellenz
Elenco: Cassio Gabus Mendes, Kéfera Buchmann, Paulo Miklos, Gabriel Godoy, Robson Nunes, entre outros
Origem: Brasil
Ano: 2017


Augusto (Cassio Gabus Mendes) é dono de um restaurante de alto padrão que está completamente endividado. Além da ameaça financeira, o seu estilo de cozinha está sendo atacado pela nova moda dos food trucks. O stress dessa situação faz com que o chef perca seu paladar e, para ajudar, o banco que é afiliado ao seu restaurante envia uma contadora linha dura, Cristina (Kéfera Buchmann), para tentar reverter a situação e criar um novo cardápio para o restaurante. 

Gosto Se Discute é o novo longa de André Pellenz (Minha Mãe é Uma Peça) e aborda principalmente esse conflito da alta gastronomia com os food trucks. O interessante é que o público brasileiro começou a conhecer e apreciar a culinária mais sofisticada devido a programas recentes como Masterchef, que popularizou o tema no país. O filme se beneficia desse cenário, pois o espectador nutre de um interesse natural pelo tema, além disso, aproveita para usar a clássica narrativa do "novo" entrando em conflito com o "velho".

O longa é predominantemente uma comédia, porém há momentos de romance. A interação entre os os protagonistas começa hostil e, aos poucos, vai se tornando amena e romântica. O personagem de Cassio Gabus Mendes (Bruna Surfistinha) é um chef rebelde e cabeça dura, o que funciona, pois ele precisa sustentar seu estilo contra a onda dos food trucks que, literalmente, chegou a porta de seu restaurante, ameaçando o seu trabalho e a sua sanidade.

Foto: Imagem Filmes e Damasco Filmes

Kéfera Buchmann (É Fada!), por sua vez, mostra-se o tipo essencialmente irredutível pelo poder que tem sobre o protagonista, ditando as regras e manobrando as expectativas da audiência em relação ao rumo da história. Apesar dessa premissa Kéfera não consegue trazer emular totalmente essa persona durona de forma convincente, sua atuação é ainda bastante iniciante, o que torna a personagem um tanto quanto mecânica em suas interações. Por outro lado, nas cenas românticas, a atriz se destaca, seja na troca de olhares ou na suavidade com que aquele sentimento cresce com o personagem de Gabus Mendes, ainda que o romance em si não fique bem fundamento para o rumo da trama como um todo.

O roteiro, que é do próprio André Pellenz, se aventura ao trazer a premissa gastronômica bem mais próxima da cultura brasileira. A gastronomia é explicitamente internacional, pois muitos pratos e receitas são de outras nacionalidades, até mesmo o conceito de food truck é algo que não existia por aqui. Nesse ponto a obra acerta, conduzindo a trama para a tal mudança de cardápio de Augusto, que tinha um menu sofisticado, porém ultrapassado. O novo cardápio é uma inspiração dos orixás, algo inteiramente brasileiro e, de fato, inovador. 

A direção de arte é boa e, aliada a montagem, valoriza a produção e a apresentação dos pratos. A comida se torna uma referência visual das divindades orixás, uma solução bastante criativa. Além disso, o uso de planos detalhe para filmar condimentos, molhos, carnes e legumes sendo dispostos, colabora para que tudo "orne" em tela.

Foto: Imagem Filmes e Damasco Filmes

Gosto Se Discute é divertido, conta uma história simples, tem personagens interessantes e um elenco de apoio bastante caricato, que contribui com as melhores cenas de comédia. O longa poderia ser mais ousado, é verdade, mas optou por um premissa segura, que deve atrair o público, principalmente, pela temática gastronômica.

Regular

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...