CRÍTICA | Olhando Para as Estrelas

Direção: Alexandre Peralta
Roteiro: Alexandre Peralta e Melissa Rebelo Kerezsi
Elenco: Cesar Albuquerque, Sandra Macedo, Thalia Macedo, Geyza Pereira, Fernanda C. Bianchini Saad, entre outros
Origem: Brasil / EUA
Ano: 2016


Inclusão é uma palavra cada vez mais ouvida e evidenciada na sociedade atual. Quando nos deparamos com pessoas portadoras de deficiência e com a vontade que elas possuem de mostrar para si mesmas que podem realizar o que bem entenderem, não só nos emocionamos, como também nos sentimos motivados para seguir esse exemplo. Olhando Para as Estrelas, documentário dirigido por Alexandre Peralta (Canto de Família), sem dúvida, vai cativar o espectador e mostrar que os problemas enfrentados por cada um de nós em nosso dia a dia são pequenos perante aqueles encarados pelas protagonistas.

O filme conta a trajetória de duas dançarinas da primeira e única escola de balé para pessoas cegas no mundo, a Associação de Ballet e Artes para Cegos Fernanda Bianchini, fundada há 20 anos na cidade de São Paulo. Geyza, a primeira bailarina da companhia, também é professora da escola, já Thalia é uma adolescente que sonha em ser escritora e também viver da dança, além de ser, como outra menina qualquer, que enfrenta problemas da adolescência. No decorrer da projeção, compreendemos os medos, os sonhos, bem como aompanhamos a luta diária dessas guerreiras, que demonstram que a limitação visual não é um empecilho para a realização de tarefas complexas, tendo em vista que o ballet é uma arte visual e corporal.

Foto: Elo Company

A narrativa é simples, as histórias contadas são emocionantes e o espectador encantado com a superação demonstrada pelas dançarinas, não só durante os ensaios e apresentações, como também em atividades rotineiras como tarefas domésticas ou a questão da mobilidade. O roteiro é eficiente, mas peca na transição do segundo para o terceiro ato, perdendo um pouco da conexão estabelecida no início. Essa irregularidade é compensada com um bonito, profundo e alegórico desfecho, que poderá arrancar lágrimas e aplausos da plateia, tamanho o esmero na produção.

A fotografia também impressiona, com imagens fora de foco em algumas cenas, proporcionando uma experiência imersiva, dando a ideia de como é o mundo de uma pessoa cega. Em outros momentos, o brilho das luzes no teatro também ganha espaço, valorizando não apenas o cenário, mas as artistas principais do espetáculo, estrelas que brilham não apenas em cena, mas também fora dos palcos. 

Olhando Para as Estrelas é um longa-metragem alegórico, cativante, emotivo e motivador, que te faz perceber que a força de vontade e a paixão pela vida farão os problemas diários serem deixados de lado, por mais complexos que sejam, e nos farão entender que vale a pena aproveitar cada momento, acreditando que podemos chegar a patamares nunca antes imaginados. Um brinde à vida!

Excelente

Foto: Elo Company

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...