CRÍTICA | A Odisseia

Direção: Jérôme Salle
Roteiro: Jérôme Salle e Laurent Turner
Elenco: Lambert Wilson, Pierre Niney, Audrey Tautou, Laurent Lucas, entre outros
Origem: França / Bélgica
Ano: 2016


Baseado no livro de memórias "Capitaine de La Calypso" de Jean-Michel Costeau e Albert Falco, A Odisseia (L’Odyssée) é o novo filme do cineasta francês Jérôme Salle (Zulu), que também assina o roteiro ao lado de Laurent Turner (A Chance da Minha Vida), e traz a fascinante biografia de uma das mais famosas personalidades francesas do século XX, o explorador e documentarista Jacques-Yves Cousteau (1910-1997), aqui interpretado por Lambert Wilson (Matrix Reloaded). 

De forma condensada, a trama percorre trinta anos da vida do ex-capitão da marinha que abandonou seu cargo para se dedicar inteiramente a pesquisa e documentação da fauna e flora dos oceanos, ao lado de sua esposa Simone (Audrey Tatou) e toda a equipe de tripulantes do navio Calypso. Costeau ganhou um Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e a Palma de Ouro do Festival de Cannes em 1958, pelo filme O Mundo Silencioso (Le monde du silence), ganhando maior notoriedade. Anos mais tarde, seu filho mais velho, Jean-Michel (Benjamin Laverne), e também o mais novo, Philippe (Pierre Niney), se juntam a equipe.

Através da boa interpretação de Lambert Wilson é possível conhecer um novo retrato do explorador, que tinha personalidade forte, era persistente, teimoso e muitas vezes egocêntrico, características que o levou a ganhar não apenas os oceanos, mas também um público fiel ao redor do mundo. Por conta da fama excessiva, a relação com a própria família começou a se desgastar, principalmente pelos casos extraconjugais que Costeau teve ao longo de sua jornada, bem como o rompimento de vínculo com o filho mais novo, que mais tarde viria a ser retomado. 

Foto: Esfera Filmes

Com um belo trabalho de fotografia, a obra atrai o espectador pelos belos planos abertos das paisagens submarinas, mostrando a imensidão dos oceanos e como foram desenvolvidos os equipamentos necessários para realizar seus premiados filmes e documentários, que lhe renderam alguns prêmios na carreira, como citei antes.

A Odisseia também mostra o recomeço de uma relação entre pai e filho em prol da preservação do planeta, e é competente em sua proposta. Se você se sentiu atraído pela persona de Jacques-Yves Costeau, vale a indicação da homenagem em forma de longa-metragem dirigida por Wes Anderson (O Grande Hotel Budapeste) em 2004, A Vida Marinha com Steve Zissou (The Life Aquatic with Steve Zissou), onde Bill Murray (Zumbilândia) interpreta uma versão decadente e melancólica baseada no explorador francês.

Bom

Foto: Esfera Filmes

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...