CRÍTICA | Baseado em Fatos Reais


Direção: Roman Polanski
Roteiro: Roman Polanski e Olivier Assayas
Elenco: Emmanuelle Seigner, Eva Green, Vincent Perez, Dominique Pinon, entre outros
Origem: França / Polônia / Bélgica
Ano: 2017


Falar de Roman Polanski (O Pianista) sem lembrar das polêmicas em torno de sua vida é quase impossível, no entanto, é inegável que o cineasta é dono de uma filmografia de qualidade, com direção marcante e com roteiros que exploram a psique de seus personagens. Foi assim em Repulsa ao Sexo (1965), em O Bebê de Rosemary (1968) e O Inquilino (1976). Em Baseado em Fatos Reais (D'après une histoire vraie), adaptação da obra homônima de Delphine de Vigan, ele flerta com esse território já explorado anteriormente, ainda que não seja tão bem sucedido como nas obras citadas.

A trama nos apresenta a Delphine Dayrieux (Emmanuelle Seigner), autora de diversos best-sellers e que há algum tempo vive isolada após ser abandonada pelos filhos. No entanto, sua vida muda por completo quando conhece Elle (Eva Green), uma jovem sedutora que afirma ser sua admiradora. Delphine então passa por transformações profissionais, em meio à sua introspecção e bloqueio criativo, e se vê envolvida em uma relação bastante abusiva, repleta de comportamentos no mínimo suspeitos.

O roteiro, assinado por Oliver Assayas (Personal Shopper) e pelo próprio Polanski, apresenta uma premissa interessante, mas acaba pecando no desenvolvimento de suas personagens, que se mostram muito rasas, sem dimensão, desprovidas de conexão com o público. As ações são marcadas por inúmeros clichês, dentre eles a de um escritor que vive em um profundo dilema diante de uma tela em branco, ou mesmo quando vemos uma palestra com mensagens triviais sobra a agonia relacionada ao trabalho. 

Foto: Paris Filmes

Apesar do roteiro raso, o talento da dupla de protagonistas consegue trazer verossimilhança a obra, fazendo com que tudo torne-se minimamente interessante. Emmanuelle Seigner (Busca Frenética) vive uma mulher contida, que aos poucos revela as camadas de sua personalidade, já Eva Green (007: Cassino Royale) parece se envolver em um grande paradoxo, tendo em vista a sua falta de transparência e atitudes que não fazem muito sentido. Havia potencial para desenvolvimento, mas infelizmente isso não acontece.

Para não dizer que todo o texto é ruim, foi bacana ver a utilização de temas contemporâneos na narrativa, como o uso de comentários odiosos em redes sociais afetando quem os lê, além da enorme proliferação das "fake news" da era virtual.

Outro ponto a se destacar é a trilha sonora, que utiliza as composições de forma eficiente, provando emoção e envolvimento no espectador. A música funciona especialmente no ato final da obra, quando somos apresentados a algumas reviravoltas.

O fato é que Baseado em Fatos Reais não é nem de perto um dos melhores trabalhos de Roman Polanski. Um filme comedido, com pouco conteúdo relevante. "Sem alma", por assim dizer. Lamentavelmente.

Foto: Paris Filmes

Regular

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...