The Crown | 2ª Temporada


Criada pelo roteirista inglês Peter Morgan em parceira com o cineasta inglês Stephen Daldry (As Horas), The Crown é uma das séries mais celebradas e premiadas da atualidade. Produzida e distribuída pela Netflix, a obra é centrada na história da atual rainha do Reino Unido, Elizabeth II (Claire Foy). Em sua primeira temporada, a produção retratou os eventos que levaram a jovem princesa, ainda despreparada, a se tornar chefe de Estado de uma das monarquias mais antigas do planeta.

Com a fama e grande aprovação do público, a série foi renovada e ganhou uma nova temporada. Lançada em dezembro de 2017, os dez novos episódios são ambientados entre os anos 1957 a 1964, período atulhado de crises e escândalos políticos, econômicos e pessoais, que a Família Real e o povo bretão enfrentaram. 

Logo de início encontramos um casal em crise. Philip (Matt Smith) e Elizabeth se veem em desequilíbrio por conta do surgimento de inúmeros rumores da infidelidade do Duque de Edimburgo , durante uma viagem em nome da Coroa a diversos países da Comunidade das Nações. A cada episódio vamos acompanhando as repercussões e consequências que esses boatos tiveram na imagem da Rainha e no casamento em si, juntamente com o passado difícil que Philip teve, e a complicada relação que tem até hoje com o filho mais velho, Charles (Julian Jenkins).

Foto: Robert Viglasky / Netflix

Ao mesmo tempo, vemos a solitária Princesa Margareth (Vanessa Kirby) afundando-se em bebedeiras para esquecer seu antigo amor, o capitão Pete Townsend (Ben Milles). No entanto, tudo muda quando a jovem conhece o famoso fotógrafo Antony Amstrong-Jones (Matthew Goode), que mexe com seu coração e transforma suas perspectivas em relação ao amor.

No âmbito político, a Rainha precisa lidar com uma crise em relação ao domínio do Canal de Suez, no Egito, causado pelo desentendimento entre o primeiro-ministro inglês Anthony Eden (Jeremy Nortam) e o general egípcio Nasser (Amir Boultrous), gerando um quase conflito armado entre as forças europeias e o exército egípcio, o que resultou em uma profunda crise econômica para o Reino Unido. Simultaneamente, a Coroa começa perder o apoio de seus súditos – tanto em terras bretãs, quanto em outras partes do mundo – que se vê rendida a realizar inúmeras concessões para manter-se no poder. 

É a humanização das personagens que faz com que essa nova temporada seja tão atrativa quanto a anterior. Diferente da primeira temporada, cujo principal foco era a contextualização do espectador, nos novos episódios conhecemos o lado humano de diversos membros da Família Real Britânica. Isso se deu através de um roteiro bem elaborado e coeso, escrito majoritariamente por Peter Morgan, e que permitiu a exploração de personagens até então secundários, como Philip, o Duque de Windsor (Alex Jennings), o pastor estadunidense Billy Graham e o casal do momento, Jackie (Jodi Balfour) e John Kennedy (Michael C.Hall), que trazem grandes reviravoltas para a história. 

Foto: Alex Bailey / Netflix

Claire Foy (Uma Razão Para Viver) é, de fato, a principal joia que a série possui. Sua interpretação é cuidadosamente construída, revelando diferentes nuances da Rainha, retratando o amadurecimento de Elizabeth como líder e a solidão que o cargo impõe forçadamente à vida dela. O ápice do trabalho da atriz pode ser visto no quinto episódio, Marionettes, onde Foy recria magistralmente a mensagem de Natal televisionada em 1957.

Contando ainda com uma belíssima direção de fotografia e uma reprodução detalhista de roupas, locais e documentos dos anos 1950 e 1960, The Crown se mantém no posto de produção mais cara da Netflix. Além disso, foi recentemente premiada com um SAG Awards em na categoria de Melhor Atriz em Série Drama, pela atuação de Claire Foy.

A série atualmente já está renovada para mais duas temporadas e terá seu elenco todo renovado, poir ira retratar uma nova fase da vida da Rainha Elizabeth, com previsão de estreia para 2019.

Foto: Coco Van Oppens / Netflix

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...