CRÍTICA | Um Amor Inesperado

Direção: Juan Vera
Roteiro: Juan Vera e Daniel Cúparo
Elenco: Ricardo Darín, Mercedes Morán, Claudia Fontán, entre outros
Origem: Argentina
Ano: 2018


Filmes que abordam a temática familiar normalmente tendem a apresentar elementos identificáveis ao espectador. Um Amor Inesperado (El Amor Menos Pensado) é bem sucedido não apenas nisso, mas também em apresentar uma reflexão sobre o amor, algo que muitos casais maduros precisam ter, pois certamente podem estar passando por situações semelhantes as apresentadas pelo casal de protagonistas 

Marcos (Ricardo Darín) e Ana (Mercedes Morán) são casados há 25 anos. Com a ida do único filho do casal para o exterior, eles então precisam lidar com uma série de situações que vem à tona quando se percebem a sós, começando a fazer diversos questionamentos a respeito do futuro que lhes aguarda.

A angústia de ter o "ninho vazio" acaba afetando o relacionamento dos dois, que passam a questionar se ainda estão apaixonados, ou se apenas estão seguindo uma comodidade, presos ao costume de simplesmente estarem juntos. Para encontrarem respostas para tais perguntas, eles decidem se separar, com a intenção de viver novas experiências sozinhos.

Foto: Pandora Filmes

Evidentemente a vida de solteiro não é tão fácil quanto esperavam, especialmente após 25 anos de matrimônio. Um Amor Inesperado é hábil em apresentar essas nuances, a forma como os personagens a princípio estranham suas liberdades, cada um a sua maneira. Ana, por exemplo, considera esquisito sair e ter relações sexuais com homens desconhecidos na primeira noite, já Marcos encontra-se perdido, sem saber exatamente como agir em encontros amorosos. 

Fica clara a visão do diretor estreante, e também roteirista, Juan Vera. Trata-se de um longa-metragem sobre personagens. São personificações sinceras, que não temem o conflito e lidam com a ideia de angústia existencial da maneira que podem. Como disse antes, elementos facilmente identificáveis a qualquer um que vive a fase adulta.

Após algum tempo vemos os protagonistas se acostumando a vida de solteiro e ganhando de volta um pouco da vertigem que precisavam recuperar. Ana começa a se valorizar mais e nutrir amor por si mesma, algo perceptível na escolha de figurino, na forma que a atriz se comporta e se impõe durante a produção. Marcos, por sua vez, em mais um trabalho eficiente de Ricardo Darín (O Segredo dos Seus Olhos) percebe que, na verdade, o que quer não são aventuras, e sim lembranças. 

Foto: Pandora Filmes

Essa é a proposta de Um Amor Inesperado, mostrar que em meio a loucas, bem-humoradas e reveladoras aventuras, é possível aprender muito sobre amor e rotina. Seus personagens descobrem um romance inesperado, consigo mesmos e entre eles. Afinal, o inesperado amor era justamente o sentimento que nutriam um pelo outro e que não se davam conta.

Bom

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...