CRÍTICA | O Retorno de Ben

Direção: Peter Hedges
Roteiro: Peter Hedges
Elenco: Julia Roberts, Lucas Hedges, Courtney B. Vance, Kathryn Newton, entre outros
Origem: EUA
Ano: 2018


Tratar do vício em drogas em uma obra cinematográfica não é uma tarefa simples. Requer sensibilidade e cuidado para lidar com possíveis gatilhos estabelecidos pelo roteiro, ao mesmo tempo em que precisa desenvolver e discutir o assunto. O Retorno de Ben (Ben is Back) é bem sucedido nessa empreitada, envolvendo o espectador dramaticamente.

Holly Burns (Julia Roberts) é uma mãe dedicada, que vive preocupada com o filho Ben (Lucas Hedges), um jovem doente, que foi internado em uma clínica de reabilitação por conta do vício em drogas. Quando o garoto surge no Natal para passar as festas com a família, ela se vê em uma situação emocionalmente complicada, tendo que lidar com os demais filhos e o marido, que não apoiam a chegada do jovem.

A narrativa é focada na relação entre mãe e filho. A protagonista, ainda que tenha perdido a confiança no garoto, se mantém otimista e esperançosa de que ele possa melhorar. Quando Ben acaba se envolvendo em problemas, o espectador assiste à uma mãe desesperada para fazer tudo o possível para salvar a vida de seu filho, conseguindo assim um pouco de paz. Ela entende o vício como uma doença e quer ajudar o jovem como pode.

Foto: Diamond Films

O roteiro escrito pelo diretor Peter Hedges (A Estranha Vida de Timothy Green) é eficaz em conseguir oferecer diversos olhares para tal situação, seja através do ângulo do viciado, da mãe, dos familiares que o cercam, do tráfico, ou simplesmente mostrando como as consequências das escolhas de Ben podem pairar sobre cada pessoa que faz parte de sua vida.

Em ritmo lento, O Retorno de Ben envolve o espectador em todas as emoções vividas pelos personagens. Nos pegamos segurando a respiração e torcendo para que o jovem não tome decisões erradas a medida que as tentações vão aparecendo. E acreditar naqueles que vemos em tela é importantíssimo para que a obra funcione, pois nos identificamos com os personagens, sempre tentando compreender o que levou cada um a tomar tal decisão.

Julia Roberts (Extraordinário) conduz o filme a segurança de uma grandíssima atriz. Ela transita entre emoções com extrema facilidade, possibilitando que a audiência perceba a turbulência que existe dentro de si ao amar o filho e torcer por sua melhora, mas sabendo que, efetivamente, ele não está bem. A cena em que Holly entra na delegacia implorando para que prendam seu garoto é dolorosa e emocionalmente impactante para qualquer um.

Lucas Hedges (Três Anúncios Para um Crime), por sua vez, expõe um personagem cheio de fragilidades e fraquezas, em uma atuação que faz com que ponhamos em cheque os julgamentos que fazemos perante suas escolhas.

Foto: Diamond Films

O Retorno de Ben transforma uma véspera de Natal em um dia longo e exaustivo para quem precisa lidar com um dependente químico, mas ressalta a importância do amor materno e da presença de pessoas queridas no tratamento dessa condição. É a dolorosa jornada de uma mãe que se importa com o filho e não desiste do mesmo nem por um segundo, disposta a fazer o que for preciso para que ele fique bem. Um drama intenso, angustiante, que nos faz imergir em emoções.

Bom

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...