Top 10: Melhores Filmes de 2012

Recentemente fui convidado pelo jornalista André Azenha, editor do portal CineZen, à participar da costumeira eleição que o site realiza dos 10 melhores filmes do ano. Foi um prazer poder contribuir, e o resultado final da votação, mais o voto a voto de cada participante, vocês podem conferir AQUI e AQUI, respectivamente. Falando especificamente da minha lista dos melhores de 2012, resolvi fazer um post falando brevemente sobre cada um dos títulos. Alguns bons filmes não entraram no Top pelo simples motivo de não ter tido a oportunidade de assisti-los, mas ficará para uma próxima oportunidade. Lembrando que gosto é gosto, e cada um tem o seu. Fica a menção, apenas, de que esses 10 filmes merecem ser vistos, portanto, a dica está dada.

__________________________________________________________________________________________________
10. Deus da Carnificina (Carnage)

Devido a uma briga protagonizada por dois jovens garotos, seus pais resolvem realizar um "breve" encontro para se conhecerem e falarem a respeito do ocorrido, buscando uma solução para a melhor edução de seus filhos. Um dos casais é interpretado por Jodie Foster  (O Silêncio dos Inocentes) e John C. Reilly (Magnólia), já o outro, por Kate Winslet (Titanic) e Christopher Waltz (Bastardos Inglórios). Se não bastasse o excelente elenco, o filme ainda é dirigido por Roman Polanski (Chinatown), um dos melhores ainda em atividade. Carnage é uma obra de interpretações, de diálogos, tal como sua gênese, bastante teatral. A forma como os "desconfortáveis" protocolos sociais são tratados, dando espaço pouco a pouco a sinceridade e a real personalidade de cada personagem ali, é no mínimo brilhante.
__________________________________________________________________________________________________
9. 007 - Operação Skyfall (Skyfall)

Skyfall não foi só um dos melhores filmes de 2012, como um dos melhores filmes de James Bond já feitos. A forma como o diretor Sam Mendes (Beleza Americana) utilizou das características clássicas do personagem, aliadas ao frescor de sua nova roupagem foi excelente e,  não a toa, o longa-metragem já figura entre as 15 maiores bilheterias de todos os tempos, ultrapassando a marca de U$ 1 bilhão. A fotografia de Roger Deakins (Bravura Indômita) e a interpretação de Javier Bardem (Biutiful) também são destaques. Fiz uma crítica da obra na época de seu lançamento, confiram AQUI.
__________________________________________________________________________________________________
8. A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)

Essa obra é marcante por apresentar Martin Scorsese (Cassino) trabalhando pela 1ª vez com uma temática "infantil", além de ser também a 1ª vez que o diretor trabalha com a tecnologia 3D. A trama narra a história do pequeno Hugo (Asa Butterfield), um órfão que reside escondido numa saudosa estação de trem, na Paris dos anos 30. Seu passatempo é consertar os relógios do local e encontrar peças antigas para consertar um boneco eletrônico que foi presente de seu falecido pai (Jude Law). O filme, além de ser o que melhor utilizou dos recursos em 3D que já assisti (e se tiver oportunidade, assista nesse formato), também é uma aula sobre a origem do Cinema, uma verdadeira homenagem, na visão do grande Scorsese.

__________________________________________________________________________________________________
7. Moonrise Kingdom

Desde que assisti pela primeira vez a Os Excêntricos Tenenbaums sou fã do trabalho do diretor Wes Anderson. Seu estilo único de contar uma história continua inabalável em Moonrise Kingdom, onde conhecemos a jornada do garoto Sam (Jared Gilman), um jovem escoteiro que se apaixona por Suzy (Kara Hayward), uma "excêntrica " (como a grande maioria dos personagens de Anderson) garota do campo.  Para viver seu 1º amor, os jovens resolvem fugir e viver juntos, o único detalhe esquecido é que eles vivem em uma ilha. A forma como o filme retrata o puro e inocente amor dos protagonistas é tocante e belo. Uma obra que fala de sentimentos, da sensação de estar deslocado do mundo em que vivemos. Quem puder assistir, o faça, vale muito a pena.

__________________________________________________________________________________________________
6. Os Descendentes (The Descendants)

Matt King (George Clooney) é um bem sucedido empresário no Havaí, que tem sua esposa em coma, com poucos dias de vida, por conta de um grave acidente. Ao descobrir que era traído pela mesma,  King parte numa jornada, acompanhado de suas filhas, à procura do tal amante, buscando por em pratos limpos toda a situação e descobrir algo que não conhecia a respeito de sua esposa. Um drama/comédia de descobertas, em que a atuação de Clooney é o grande destaque, fazendo rir, chorar, e protagonizando um dos momentos melhores momentos do ano.
__________________________________________________________________________________________________
5. Precisamos Falar Sobre Kevin (We Need To Talk About Kevin)

Precisamos Falar Sobre Kevin é um drama denso, soturno, que fala de uma mãe que nunca conseguiu se relacionar bem com o filho. Quando o garoto atinge a adolescência, comete um crime de proporções avassaladoras na cidade, e a mãe vive um intenso dilema entre a culpa e o amor incondicional pelo filho. Esse não é um filme fácil de se assistir, chega a ser perturbador em alguns momentos. Mas despertar esse sentimento no espectador, comprova a qualidade da obra, da qual já falei em um dos posts da Análise de Cinema. Pra conferir, basta clicar AQUI.
__________________________________________________________________________________________________
4. O Homem Que Mudou o Jogo (Moneyball)

O que realmente importa em nossa vida? Importa um bom emprego? Importa um bom salário? Ou importa estar perto de quem agente ama? Essa foi a pergunta que ficou em minha cabeça após assistir Moneyball. E quando um filme te faz questionar idéias e pensamentos, significa que ele te marcou de alguma forma. A obra conta a história real de Billy Beane (Brad Pitt), um ex-jogador de baseball que se tornou General Manager de um time endividado, e que não tem dinheiro para investir em grandes jogadores. Mediante a dificuldade, Beane aposta no analista Peter Brand (Jonah Hill, que foi indicado ao Oscar pelo papel), que garante que não é necessário um grande orçamento para montar um equipe competitiva. É muito mais que uma obra sobre esporte.
__________________________________________________________________________________________________
3. Shame

Brandon Sullivan (Michael Fassbender) mora em um luxuoso apartamento de Nova York, fruto de sua bem-sucedida carreira profissional. Mas apesar de sua renda possibilitar que tenha acesso a tudo que precisa, Brandon é um sujeito com sérios problemas para se relacionar intimamente, se refugiando em um vício incontrolável, o sexo. Seus problemas internos são agravados quando sua irmã (Carey Mulligan) passa a morar com ele. A forma como o filme constrói a degradação do ser humano por conta do vício (que podia facilmente ser qualquer outro) é muito bem conduzida, fazendo com que o espectador fique fixado nos acontecimentos em tela, praticamente sem piscar. Muito se falou da obra por conta das cenas de sexo, mas não há nada que já não tenhamos visto em outros filmes.
__________________________________________________________________________________________________
2. Millennium - Os Homens Que Não Amavam as Mulheres (The Girl With The Dragon Tattoo)

Mais um grandioso suspense do diretor David Fincher (Clube da Luta). Muito se falou a respeito da necessidade de existência do filme, pois se trata de um remake de um longa-metragem sueco lançado alguns poucos anos antes. Ainda que eu não concorde com essa onda de refilmagens, não pude negar que o estilo de Fincher domina a tela e, em minha opinião, se sobressai ao original, e isso deve-se também ao elenco, que é ótimo. Mikael (Daniel Craig) é contratado por um milionário para solucionar um crime engavetado a décadas, o desaparecimento de sua herdeira. O personagem, por necessidade, acaba de aliando a Lisbeth (Rooney Mara) uma "excêntrica" hacker, a garota da tatuagem de dragão, do título. Contar mais que isso é estragar as surpresas que a trama reserva.
__________________________________________________________________________________________________
1. Drive

A mistura perfeita entre direção, elenco, roteiro, trilha sonora, e fotografia. Comentei uma vez que de tempos em tempos o Cinema nos presenteia com alguma obra que ficará marcada na história e, arrisco dizer, que Drive é uma delas. Ryan Gosling (Tudo Pelo Poder) é um motorista que trabalha como dublê para filmes durante o dia, e dirige carros para assaltantes durante a noite. Ao conhecer, e se apaixonar, por sua vizinha Irene (Carey Mulligan) e seu filho, o mesmo se sente compelido a protegê-los quando uma situação ameaçadora surge, fruto da irresponsabilidade do marido da moça, recém liberto da cadeia. A história pode parecer clichê, mas é o desenvolvimento que faz toda a diferença. Escrevi uma crítica sobre o filme AQUI e uma Análise de Cinema AQUI.
__________________________________________________________________________________________________

Menção Honrosa: Os Vingadores, Batman - O Cavaleiro das Trevas RessurgeO Hobbit - Uma Jornada Inesperada e As Aventuras de Pi.

Comentários

Postar um comentário

Gostou, não gostou, quer conversar sobre? Comenta aí!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...