Franquia: Atividade Paranormal

Meus breves comentários, a respeito de cada filme da franquia Atividade Paranormal (esse post contém spoilers dos quatro filmes da série, portanto se ainda não os assistiu, leia por conta e risco). Trata-se de uma sequência de filmes que não tive curiosidade em assistir durante anos, mas que nesse último carnaval resolvi dar uma chance. Pra entrar no clima, a única regra era assisti-los de madrugada, com as luzes apagadas. Acreditem, isso faz muita diferença.

Atividade Paranormal (2007)

Lembro-me de quando foi lançado em 2007, e todo o alvoroço causado. Como disse antes, não fui fisgado pela ideia de início, me parecia boba, afinal, sejamos francos, qual foi o último filme de terror/suspense que te deixou assustado? O meu foi Os Outros, há 11 anos atrás.

Mero engano de minha parte. O longa me surpreendeu positivamente por criar um clima de tensão crescente que não sentia desde A Bruxa de Blair. E nesse ponto o "found footage" tem grande mérito e é muito bem utilizado. Não é preciso vermos o "monstro", o medo está no desconhecido, no que não enxergamos, e nisso o filme acerta. Deixando de lado qualquer truque de música crescente, os sustos acontecem graças aos sons em cena, gerando uma sensação de realidade palpável (quem nunca escutou um ruido esquisito em sua casa de madrugada?). Os clichês do gênero estão lá, ficamos nervosos com alguma atitude estúpida de um personagem ou outro, mas faz parte. Uma pena que o final deixe a desejar, ainda que sem ele não existiriam as sequências. No DVD tem um final alternativo que funciona muito melhor ao meu ver, com a garota assassinando o namorado e se matando, de frente para a câmera, logo depois.
Ótimo




Atividade Paranormal 2 (2010)

Como é de costume na indústria cinematográfica atual, se fez sucesso, tem sequência. E convenhamos que o gênero terror/suspense não é conhecido por prezar por seus acertos, sendo submetidos a inúmeras sequências desnecessárias. Com Atividade Paranormal não foi diferente, e aqui voltamos alguns meses nos acontecimentos passados no primeiro filme, para entendermos o porque de Katie ter sido assombrada em sua casa. Descobrimos então que sua irmã Kristi era quem vinha sendo perseguida pela "entidade", e numa jogada covarde de seu marido, se livrou da assombração passando-a a irmã.

Não há inovação, o filme é mais do mesmo, sobrando apenas a curiosidade de descobrirmos um pouco mais daquela história. Há problemas de ritmo, a desculpa para as câmeras dentro da casa não é tão convincente, os fatos assombrosos demoram a acontecer, mas a dinâmica é boa, e o final me manteve curioso para assistir o terceiro filme. Essa curiosidade, porém, é fruto da obra original, pois a sequência termina com o mesmo gancho anterior, com Katie desaparecida, mas em posse do bebê da irmã.

Regular




Atividade Paranormal 3 (2011)

Em seu terceiro filme a franquia resolve voltar ainda mais no tempo. O ano é 1988 e acompanhamos a história da infância de Katie e Kristi, quando os eventos paranormais tiveram início. Novamente não temos nada de inovador, a ideia continua a mesma, mas um fator faz a diferença: a criança macabra. Não sei com vocês, mas quando algum filme de terror/suspense envolve uma criança macabra, ele funciona de alguma forma para mim. E aqui as situações criadas são tensas, fazendo até com que o tradicional truque do fantasma de lençol funcione. As cenas em que a jovem Kristi conversa com seu "amigo imaginário" também são de arrepiar.

Além disso, a franquia dá respostas do porque das garotas serem assombradas (uma pista que já havia sido plantada no segundo filme). Aparentemente a avó delas era uma bruxa, e o fim do filme parece deixar isso claro, quando a mesma aparece com outras pessoas realizando uma espécie de ritual macabro. Esse encerramento, por sinal, funciona bastante e concluiria bem a história, se uma quarta continuação não estivesse por vir.

Bom





Atividade Paranormal 4 (2012)

Desnecessária. É a palavra que define a quarta parte de Atividade Paranormal. Essa é a primeira sequência de fato, visto que os acontecimentos se passam cerca de 5 anos após os atos do 1º filme. Aqui encontramos Katie e o agora garoto Hunter, se mudando para uma vizinhança de Nevada. Devido a uma pseudo doença da "endiabrada", o garoto passa a viver provisoriamente na casa dos vizinhos, e é aí que tudo acontece.

A premissa é a mesma, os acontecimentos são os mesmos, não há inovação, o que mostra que a franquia começa a perder seu fôlego. Os sustos acontecem, mas são raros, e já não têm o mesmo impacto dos filmes anteriores. Já o desfecho é praticamente uma releitura do terceiro, deixando portas abertas para uma possível sequência (que, não duvido, deve acontecer). Uma pena que indústria ainda se renda a esse tipo de apelo financeiro, pois enfraquecem uma obra que tem seu valor, mas que acaba sendo dissipada pela exaustão de continuações. Já aconteceu com Jogos Mortais e outras franquias de terror. É a vez agora de Atividade Paranormal.


Ruim

Comentários

Postar um comentário

Gostou, não gostou, quer conversar sobre? Comenta aí!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...