Breaking Bad - S05E09 - Blood Money

Breaking Bad explodindo a sua cabeça logo nos minutos iniciais

[spoiler alert]
Demorou quase um ano, mas finalmente Breaking Bad retornou para seus 8 capítulos finais. E que episódio foi esse? Longe do ritmo frenético que a série, quando quer e precisa, emprega como ninguém, mas não menos genial por isso. Nesse S05E09 fica clara a intenção de recolocação de peças no tabuleiro, apresentando ao espectador uma breve amostra do que veremos pelas próximas 7 semanas (e aqui deixo um suspiro de lamentação, pois agora faltam apenas 7 semanas pra acabar).

Blood Money começa já aguçando a curiosidade de todos os fãs da série, ao nos apresentar mais um flashfoward do Mr. White sozinho e, aparentemente, desolado (a imagem abaixo deixa isso claro, ao mostrar o personagem quebrado, desfigurado). Ainda que claramente esteja preparando um ataque a algo ou alguém. Quem? Impossível saber ainda, mas fico me perguntando o que teria acontecido em 1 ano para as coisas terem ficado do jeito que estão. Sua casa completamente abandonada, cercada com placas de aviso, a pichação do seu alter ego na parede. Onde estarão Jesse, Skyler e os demais? São muitas perguntas. O que importa agora é que ele foi atrás da boa e velha ricina escondida.

Broken [1]
Broken [2]












Voltando ao presente, foi ótimo poder acompanhar a trama do exato momento onde o S05E08 havia encerrado. A reação de Hank foi completamente plausível, claramente tentando acreditar que o que acabou de descobrir não é verdade, mas percebendo que sua tentativa é em vão. Sua explosão física e mental foi agoniante, por sabermos, ao longo de 5 temporadas, exatamente o que aquele personagem passa naquele momento. E que grande interpretação de Dean Norris.

Certamente que deixar a vida do crime não seria assim tão fácil para Walt e a visita de Lydia ao lava-rápido deixa isso claro. Interessante como Skyler sai em defesa do marido, tal como alguém que tenta afastar um traficante de um parente em recuperação do vício. No entanto, o que mais chamou minha atenção nas cenas no Car Wash foram os figurinos. Breaking Bad trabalha as cores dos figurinos de seus protagonistas desde o primeiro episódio e, não atoa, dessa vez Walt e Skyler aparecem trajados da cores bejes e claras, colorações discretas e que não chamam atenção como os trajes anteriores dos personagens (azul, verde, vermelho, preto). Justamente quando o que mais querem é não chamar a atenção de ninguém para si.

No profile

Pobre Jesse. Novamente passando por uma crise existencial (é bom lembrar que se passaram alguns meses desde o início da operação internacional de Walt e sua renuncia ao "império"), certamente por ligar os pontos e perceber que Mike já virou comida de peixe faz tempo. Walt, por sua vez, segue mentindo sem dó nem piedade, mas duvido que Pinkman tenha engolido os falsos juramentos dessa vez. Voltou as drogas, voltou a se sentir depressivo, e tem agora como objetivo se livrar do que o faz se sentir sujo (o tal Blood Money do título). Justamente o que o separava de Mr. White no sofá de sua casa. Prevejo nova união a vista. Não me pergunte com qual intuito, mas é notório que Walt mantém seu instinto paternal para com o rapaz.

Separados por 5 milhões de dólares

Encerrando esse ótimo episódio, o embate entre Walt e Hank, algo que eu esperava que acontecesse apenas nas próximas semanas. E que bom que foi agora, abrindo espaço para novos acontecimentos. Primeiro, gostei bastante da forma como Mr. White percebeu que seu cunhado tinha descoberto seu segredo. Justamente o acaso, aquele mesmo que levou Hank a descobri-lo. Muitos criticam quando soluções assim são apresentadas em roteiro, pois acreditam que é uma forma preguiçosa de dar prosseguimento a trama. Eu discordo. O acaso é algo constante na vida de todos nós, e a série já se mostrou acima da média no que diz respeito a seus textos.

Na cena em que os dois se enfrentam, literalmente, foi angustiante ver a tensão crescente que tomava conta da tela. Tensão essa que foi elevada de forma inteligente pelo som perturbador do carrinho de controle remoto passeando pela rua (Breaking Bad e seus recursos cinematográficos, sempre fascinantes). Nos diálogos, a clara decepção de Hank e o ego exacerbado de Walt que, vendo suas mentiras fracassarem perante o cunhado, apelou para sua doença e, por fim, a ameaça. Vem coisa boa por aí. Falta muito pra próxima semana?

Quer que ele fale seu nome agora? Bitch!

Quer ficar por dentro das atualizações do CINÉFILO SANTISTA? Curta a fanpage do blog no Facebook! É só clicar AQUI e dar o seu like ;)

Comentários

  1. Ótima Review!

    Vc citou sobre as laranjas caindo na minha review e fiquei pensando nisso depois, se for mesmo ocorrer a morte do Walter, que genialidade será, juntamente com a homenagem ao poderoso chefão! Seria mitico! Parabéns por perceber a referência a um dos melhores filmes de todos os tempos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho a teoria bem possível Edu, até pelas referências que têm acontecido a outros filmes, como Scarface, por exemplo. Com relação as laranjas, a série já tinha brincado com essa referência com o Ted Beneke. Quando ele tropeça no tapete e bate com a cabeça na cômoda, em cima do móvel havia uma bacia com laranjas, e as frutas caem no chão ao seu lado.

      Por essas e outras que Breaking Bad é genial! haha

      Excluir

Postar um comentário

Gostou, não gostou, quer conversar sobre? Comenta aí!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...