O agradecimento de um fã de Breaking Bad

O último frame pós-créditos do Series Finale de Breaking Bad foi um significativo "obrigado", ao lado do icônico chapéu de Heisenberg abandonado no deserto. Virou tradição da equipe de Vince Gilligan agradecer aos fãs que, junto deles, realizadores, fizeram da série o sucesso estrondoso que ela é hoje. O poster ao lado é um exemplo: "Estava tudo na química. Obrigado a todos que fizeram da maldade algo tão bom". Fizeram algo semelhante também agradecendo Albuquerque (cartaz no fim do post), cidade que os acolheu e deu identidade singular ao seriado. Um carinho especial para com os espectadores. Gestos simples, mas que fazem tanta diferença. 

Falo com absoluta certeza, e creio que 99,9% daqueles que acompanharam a série concordarão comigo, que o agradecimento precisa ser recíproco.

Como não dizer obrigado por cada momento único que Breaking Bad proporcionou? Obrigado com as risadas que demos com a forma atrapalhada com que Walt e Jesse iniciaram sua jornada, ou com os papos alucinados de Badger e Skinny Pete. Risadas que acompanhavam quase toda cena em que Saul Goodman esteve presente - e se você andou fazendo algo de errado ultimamente, Better Caul Saul!. Era realmente engraçado como em meio a tanta tensão a série sempre arranjava uma forma de aliviar o espectador com seu humor característico.

Obrigado por Los Pollos Hermanos! Obrigado por Vamonos Pest!

E a tensão? Ah, a tensão! Insuportável, muitas vezes. Seja no primeiro encontro de Walt e Tuco - "This is not meth" - ou nos momentos de silêncio que precederam o tiroteio que culminaria na morte de Hank. Segundos sem respirar foram frequentes. Obrigado pelo momento em que Mr. White tem que optar por presenciar o nascimento de Holly ou fechar sua primeira transação com Gus Fring. Obrigado por Hank ter escapado da tentativa de assassinato dos irmãos Salamanca no estacionamento, obrigado pelo assalto ao trem de metilamina. São tantos momentos que poderia agradecer por parágrafos.

Emoção também nunca faltou. Momentos que levaram até os mais machos a escorrerem suor hétero dos olhos. Quando Flynn faz o website beneficente para seu pai ou quando o mesmo Flynn dá uma entrevista para a TV dizendo que seu pai é o melhor. Contrastando com o fim da série, é de partir o coração. Como esquecer a perda de Jane e o sofrimento de Jesse? Impossível. E o que foi Ozymandias? Muito obrigado por Ozymandias! Se a série terminasse após a exibição desse episódio eu já estaria satisfeito, essa era a verdade.

Como sentirei falta do primor técnico de Breaking Bad! Dos ângulos de câmera não convencionais, das cores e figurinos que se tornaram um personagem a parte da série, da trilha sonora espetacular, das auto-referências e homenagens ao Cinema. Obrigado aos diretores e roteiristas, bem como Vince Gilligan, responsáveis por tantos momentos, viradas e frases marcantes: "Say my name", "I am the one who knocks", "I fucked Ted", "I am not in danger, I am the danger!", "I won", "Yeah Mr. White, yeah science!", "Jesus Christ, Marie!""Bitch!", entre tantas outras.

Claro, meu agradecimento não estaria completo se eu não dissesse obrigado a Dean Norris, Betsy Brandt, Bob Odenkirk, Giancarlo Esposito, Jonathan Banks, Mark Margolis, RJ Mitte, Anna Gunn, Aaron Paul e Bryan Cranston, bem como todo o espetacular elenco da série, sejam coadjuvantes ou não. Ainda que Walter White e Jesse Pinkman tenham sido o centro de toda a jornada, bem como a transformação de seus personagens, todo o elenco teve participação essencial para que a obra alcançasse o patamar que alcançou.

A saudade já está batendo. E como será gratificante assistir à serie novamente daqui a alguns anos, como pretendo fazer em breve com LOST e The Sopranos.

Obrigado, Breaking Bad!


"Obrigado Albuquerque! Nós tivemos grande química juntos!"

Comentários

Postar um comentário

Gostou, não gostou, quer conversar sobre? Comenta aí!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...