Game of Thrones 4x06 | The Laws of Gods and Men


[spoilers]
Após o episódio passado com poucos acontecimentos bombásticos e ritmo mais lento, Game of Thrones retorna em grandíssimo estilo, com um 4x06 de cenas marcantes e importantes para o decorrer dessa impecável temporada até aqui. Dessa vez acompanhamos poucos personagens, pois precisávamos de tempo para o julgamento do assassinato do Rei. E para ver Peter Dinklage brilhar em tela novamente.


Davos
Muitos aguardavam a estréia de Mark Gatiss (de Sherlock e Doctor Who) no papel de Tycho Nestoris, e a espera foi recompensada. O ator como sempre esteve muito bem, mostrando que a moral de Stannis Baratheon está mais baixa que a altura de Tyrion. Se não fosse pela presença de Sor Davos e seu poder de persuasão, o suposto Rei voltaria para Pedra do Dragão de mãos abanando, porém agora conseguiu dinheiro para ter os piratas como seus aliados. Para isso ele assumiu uma dívida com o Banco de Ferro (em mais uma cidade que conhecemos em GoT, Braavos), o que, acredito, não deva ser uma coisa sensata a se fazer.

Theon
Se a vida não está fácil pra ninguém, para Theon muito menos. Aprisionado junto aos cães de Ramsay Snow, o atual "Fedor" teve sua tentativa de resgate frustrada pelo próprio bastardo Bolton que, despido de qualquer armadura, enfrentou os soldados da sua irmã como um louco. Difícil foi engolir que Yara tenha sido amedrontada por alguns cães, mesmo sabendo do que aqueles animais são capazes. A Greyjoy, aliás, tomou seu irmão como morto. Resta a Theon atender aos caprichos de Ramsay. Fiquei curioso para saber a qual local Ramsay se referia enquanto banhava seu escravo.


Daenerys
Do outro lado do oceano vimos Khaleesi enfrentando as consequências de suas decisões. Primeiro ao constatar que está perdendo o controle de seus dragões. A semente já havia sido plantada no season premiere, mas agora ficou escancarado que a Mãe dos Dragões não controla mais seus filhos. Vimos também o resultado direto de sua decisão por crucificar os mestres de Meereen e o quanto ela provavelmente ainda será questionada por isso. Devia ter escutado Sir Barristan. Por fim, foi bacana perceber que a loirinha sentiu o peso de governar, ao notar que teria que atender mais de 200 plebeus. Ser Rainha no discurso é fácil.

Jaime
Poucos foram os momentos do Regicida, mas todos importantes. Ficou claro a todos que ele fará tudo que estiver a seu alcance para salvar o irmão, nem que para isso tenha que abrir mão de seu juramento. A cena com Tywin foi genial, por mostrar apenas com diálogos e atuação o quanto o patriarca Lannister está a par de toda a situação. Ver Jaime abrir mão de seu juramento era tudo que ele queria, para garantir o futuro da família. Ele apenas não contava que Tyrion fosse fazer o que fez...


Tyrion
Enfim tivemos o aguardado julgamento de Tyrion, algo que vinha sendo comentado intensamente internet a fora pelos fãs que já leram os livros de George Martin. E como toda cena que envolve tribunais na TV e no Cinema costuma elevar as emoções, em GoT não foi diferente. Uma a uma as testemunhas foram entrando (e é incrível observar como a série não dá ponto sem nó), condicionadas por Cersei e seu pai, que não contiveram esforços para incriminar o Meio-Homem. Nada surpreendente, até a entrada de Shae. Sua traição foi de partir o coração. Como uma personagem, antes tão cativante, se mostrou tão odiosa. Culpa do ciúme e do desejo, que deturpam a visão das pessoas, Lorde Varys já havia alertado Oberyn desse perigo.

Quanto a Tyrion, nos resta elogiar a fantástica atuação de Peter Dinklage, num dos momentos mais emblemáticos que a série já nos apresentou. Vimos em seu olhar a decepção por ver Shae adentrar o salão, aquela que seria a gota d'água para tudo que Tyrion teve que suportar por toda a vida. "Sou culpado por um crime mais monstruoso. Sou culpado por ser um anão. Fui julgado a minha vida inteira por isso". Dito com o profundo pesar e peso em suas palavras, com a câmera enquadrando-o de baixo para cima, dando-lhe imponência. O "Duende", como fora constantemente chamado, sempre teve por característica a inteligência, que usava como escudo para se proteger daqueles que o repudiavam, mas não aqui, não dessa vez. Dessa vez Tyrion deixou sua emoção falar mais alto, ainda que continue agindo sabiamente.

Só me resta encerrar minha review com seu monólogo final, e nada mais precisará ser dito:

"Eu não matei Joffrey, mas eu queria que eu tivesse feito. Ver seu vil bastardo morrer deu-me mais alívio que mil cadelas mentirosas. Eu adoraria ser o monstro que vocês acham que eu sou... eu adoraria ter veneno para matar todos vocês. Eu daria minha vida para vê-los engolir."

"Eu não darei minha vida pelo assassinato de Joffrey. E eu sei que não receberei justiça aqui. Então que os Deuses decidam meu destino. Eu exijo um julgamento por combate."

Você pode curtir o Cinéfilo em Série no Facebook e também nos seguir no Twitter!

Comentários

  1. Cara, estou adorando seu Blog!
    Infelizmente só acompanho GoT..
    Parabéns pelo excelente trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Wysley! Fica de olho que tem sempre novidade por aqui.
      Abraços!

      Excluir

Postar um comentário

Gostou, não gostou, quer conversar sobre? Comenta aí!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...