24: Live Another Day 9x12 | 10:00 PM - 11:00 AM



Quando fui convidado pelo Daniel Oliveira (CEO/Mestre Yoda/Administrador do Cinéfilo em Série) para escrever reviews dos episódios do nono dia da vida de Jack Bauer, eu já havia me preparado para que esse final fosse o definitivo, preparando frases lindas para emocionar as pessoas que me leem por aqui e mandar ver naquele texto que poderia ser o último da série. Mas o que vimos não foi um final em si. Eu senti que foi mais um “To be continued...” do que o fim. Os roteiristas e produtores estavam vendendo a minissérie como se fosse a ultima temporada, mas algo mudou no meio do caminho, e ficou evidente nessa season finale. Não foi o fim. Ficou em aberto. Assim como havia sido na 8° temporada, onde tivemos aquele final emocionante com Jack e Chloe, também tivemos um episódio tenso, com uma fatalidade e momentos finais emocionantes para o nosso mito.

O episódio teve foco na busca do Cheng por Jack Bauer, Chloe (que havia sido resgatada pelo Jack), naquele homem que devemos respeitar, Belcheck, e na tentativa de Kate Morgan em salvar Audrey do sniper que estava com a citada na mira, além também do presidente Heller se virando nos 30 para impedir a guerra.

Jack Bauer, como disse antes, é um herói trágico. Ele sempre faz o que pode pelos outros, mas infelizmente sua vida é regada de tragédias desde a primeira temporada. Primeiro foi a Teri, sua esposa, depois Audrey, que ficou no final da sexta temporada no estado catatônico devidos as torturas de Cheng, logo depois Renee Walker, morta pelos russos, e finalmente Audrey, mais uma vez, agora morta pelos chineses (tivemos também Nina Meyers, mas esse foi apenas um caso básico do mito. Acabou que ela virou uma das maiores vilãs da série). É tanta desgraça que eu temi que ele jogaria tudo pro alto, logo depois de saber, via Kate, sobre a morte da amada. O momento que ele pegou a arma, temi. Achei que, naquele momento, ele desistiria de vez de viver e se mataria. Mas o lado darkside entrou em cena e ele fez o que sabe melhor: matar geral em sua raiva que estava ao extremo, e assim, enfim, chegar ao Cheng e conseguir a sua vingança de uma forma que não imaginei: morto por uma espada de samurai após Jack proferir as palavras: “Isso é pela Audrey, seu filho de uma puta!”.


Tivemos uma “nostalgia CTU”, quando Chloe estava orientando Jack para chegar até seu alvo, quantas saudades das temporadas anteriores. Aliás, aquela chuva não deveria estragar o PC dela?

Quando Kate decide resgatar Audrey, confiei mesmo que ela conseguiria isso! Infelizmente ela não contou com um segundo atirador, que acertou a moça. E daí veio um dos momentos mais emocionantes do episódio, e a volta (infelizmente) do relógio silencioso, demonstrando luto para uma das personagens mais queridas da série. Tantos personagens queridos já faleceram, que você não sabe como se portar quando ocorre isso mais uma vez. Fico feliz que, pelo menos em um momento da temporada, Jack e Audrey puderam se encontrar, se abraçar e desabafar um com o outro, antes do acontecimento fatídico. RIP, Audrey.

Depois que Jack consegue fazer a filmagem e, dessa forma, identificar Cheng para o governo chinês impedindo a guerra de iniciar, Heller recebe a notícia trágica da morte da sua filha. Um homem, que cedeu a sua vida para impedir que os ataques dos drones continuassem, pagou esse preço. Infelizmente a vida não é um conto de fadas. No velório a caminho do Air Force One, tivemos outro momento deveras emocionante, dele dizendo que futuramente não lembraria de nada daquilo. Um momento muito triste, mas uma cena muito bonita e bem filmada. Willian Devane esteve ótimo nessa temporada. E a trilha sonora de Sean Callery, sempre espetacular!


Pela primeira vez na série, tivemos um pulo temporal. 12 horas se passaram até que Jack Bauer vai ao encontro encomendado por um mercenário russo, que ligou para ele logo depois que a missão Cheng foi um sucesso. Ele havia capturado Chloe e exigiu uma troca. Mais uma vez, vemos Jack pensando nos amigos em vez dele próprio. Na verdade, a única amiga da vida dele, Chloe O’Brian. Ele se dispôs a fazer isso por ela. E daí a gente vê o valor do personagem. Ele sofre. Ele perde pessoas que ama, ele come o pão que o diabo amassou. Mas nunca, nunca perde seus princípios. Ele é um personagem que merece a felicidade, merece a redenção. E agora ele está a caminho de Moscou.

Esse final em aberto me faz teorizar que a série não terá o seu final agora. A situação com os russos é a única ponta aberta (pelo que me lembro) que o seriado tem ainda. Acredito que teremos sim, uma 10ª temporada (e espero que última), para fechar mais essa ponta solta e terminar 24 Horas perfeitamente. Espero sinceramente que a série não seja cancelada com esse final em aberto, ficaria bem decepcionado. E obrigado, FOX, Jon Cassar, Kiefer Sutherland, Howard Gordon, Mary Lynn Rajskub e companhia por trazerem, mais uma vez, uma temporada maravilhosa da minha série preferida. 

Obrigado!

P.S.1: Mark Broudeau se fodeu. Erick avulso eternamente.

P.S.2: Meus parabéns para Yvonne Strahovski, a atriz que interpretou Kate Morgan. Uma ótima adição à série. Espero que - se acontecer uma nova temporada - ela venha mais uma vez!

P.S.3: Não tivemos Mariana nesse episódio infelizmente. Mas a inclusão desse P.S. é para ostentar duas imagens da atriz curtindo duas coisas que enviei a ela:



P.S.4: Eu pensei numa teoria muito louca para a próxima season. Sabemos que haverá um extra no DVD onde veremos Tony Almeida na prisão. Sim, o próprio! Pensei “por que eles querem mostrar o personagem logo agora?”. Imaginei que na próxima temporada Chloe e Belcheck vão resgatar o personagem clássico para ajudar eles, juntamente com Kate, e resgatar Jack Bauer dos russos. Estou muito maluco ou vocês acham que tem alguma coerência nisso?

P.S.5: Pra terminar, os agradecimentos finais. Obrigado ao Daniel Oliveira pelo convite para escrever sobre a minha série favorita. Se fui suspeito nas declarações, me desculpem, é mais forte que eu. Ao pessoal do grupo 24 Horas, o qual administro. Raissa, Nôla, Luís, Daniel, Marcello, Julio mito dos apelidos, Geraldo, Bruno, Francisco, Marília, Rogério, Rafael e a todos que sempre estão postando por lá e trazendo ótimas discussões sobre a série. Um abraço pro Khaled, Heron e a todos do Filmow, que deram like e comentaram sobre as reviews. Obrigado a Raphaela Leite, que sempre pedia para ler a review lá no Banco de Séries, a Camila Menezes pela divulgação das reviews no seu twitter pessoal e também a Mayara por ceder espaço na sua página “O filme é legal, mas...” para a divulgação. E obrigado a todos, todos mesmo, que leram, curtiram, compartilharam, comentaram, etc..  nas divulgações que faço no meu perfil pessoal do Facebook. Nos vemos ano que vem, se a FOX colaborar.

“Shut it down.”

______________________________________________________________________________________

EDU OLIVEIRA é seriador e cinéfilo. Além de colaborar para o Cinéfilo em Série, ele também é criador do CINEMAGENS. Curta sua fanpage no Facebook e se inscrevam no canal do YouTube. É conteúdo de qualidade!

Links:
facebook.com/cinemagens
youtube.com/user/cinemagens

Comentários

  1. Caracas, li a matéria do Edu, e fiquei louco quando soube desse extra, que eu desconhecia por completo ! Espero que sigam por esse caminho, mesmo, que 24 Horas tenha uma 10ª temporada (o final da 9ª temporada tem de ter sido uma Season Finale, NÃO PODE ter sido uma Series Finale) e que nela o Tony Almeida retorne à série ! Seria mais do que épico, talvez uma das melhores temporadas de 24 Horas.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou, não gostou, quer conversar sobre? Comenta aí!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...