Game of Thrones 6x03 | Oathbreaker


[spoilers]

Já é tradição em Game of Thrones, termos um episódio de aparente calmaria após outro de acontecimentos bombásticos. Digo "aparente", pois capítulos assim são necessários para mover a história, estabelecer os rumos da narrativa, o famoso "mexer de peças no tabuleiro". Oathkeeper é tudo isso, mas conta com a vantagem de nos entregar cenas que aguardávamos a um ano. Sim, estou falando de Jon Snow vivo.

Bran
O quão incrível está sendo acompanhar esses "flashbacks" do Bran? Não sei vocês, mas eu fico empolgadíssimo com cada cena, muito em função das possibilidades que isso apresenta para com a história e possíveis pontas soltas do passado dos personagens. Por outro lado, da mesma forma que o jovem Stark, fico frustrado pela constante interrupção do Corvo de Três Olhos, que insiste em cortar nosso barato sempre que a coisa esquenta. Ao menos foi interessante vê-lo revelar o que espera do futuro de Bran e seu intuito com tudo aquilo.

Falando do "flashback" em si, fica cada vez mais evidente a teoria de R + L = J, visto que os gritos femininos vindo da Torre da Alegria muito parecem com aqueles causados por dores de parto, de Lyanna, no caso. E como foi interessante ver o jovem Ned Stark batalhando e ver sua imagem de bom moço ser manchada mais uma vez perante nossos olhos (e os de Bran). Se já soubemos através de Jaime que ele o julgara Regicida sem mesmo lhe perguntar o que houve, aqui vimos que ele não havia vencido o Espada da Manhã, como contou ao longo dos anos. Não sem a ajuda/trapaça de Reedm que o acompanhava. Perceber que Ned ouviu Bran chamá-lo de alguma forma enquanto subia a escadaria da torre foi apenas a cereja do bolo.

Ramsay
Eis que quando menos esperávamos, encontraram a criança que havia desaparecido há 2 anos em Westeros. Rickon Stark retornou à trama de forma bem chula, ao meu ver, pois foi aparentemente capturado em sua fuga e levado a Winterfell. Diferente de Bran, que teve um salto considerável em sua trama, não acredito que o caçula dos Starks trará algo de novo para vermos. E digo mais, não duvido que o garoto seja morto por Ramsay em algum momento, talvez durante uma vindoura batalha com Jon Snow, mas eu divago. Apenas devo agradecer ao nortenho Amber por mandar o bastardo Bolton beijar a bunda dele umas 10 vezes em 3 minutos de cena. E RIP, Cão Felpudo.


Tyrion
Em Meereen tivemos uma demonstração de como Varys trabalha com seus "passarinhos", conseguindo assim a revelação de que os Filhos da Harpia são financiados pelos mestres de Astapor e Yunkai, com a ajuda de Volantis. Trata-se de uma trama que, sinceramente, não me traz nenhuma empolgação, não vejo a hora que todos saiam dali rumo a Westeros. No mais, vale citar a cena de alívio cômico em que Tyrion deixa Verme Cinzento e Missandei sem graça, enquanto estava entediado.

Daenerys
A trama que menos me empolga atualmente em GoT é a de Daenerys, definitivamente. Toda a questão dela estar prisioneira Dothrakis e ser levada a Dosh Khaleen soa extremamente desinteressante, pois não vejo de que forma haverá alguma evolução para a personagem. Que Jorah e Daario cheguem logo para resgatá-la.

Arya
Outra trama que caminha a passos de tartarua é a da Arya. Todo o mistério que envolve a Casa do Preto e Branco, no entanto, faz com que eu me mantenha interessado, fora o talendo de Maise Williams. Nesse 6x03, basicamente, vimos a jovem Stark ganhar novamente a confiança de Jaqen H'ghar ao evoluir em suas táticas de combate, mesmo cega (Demolidor mandou lembranças). Gostei particularmente da cena em que ela cita seus irmãos, algo que sempre me emociona vindo dos Starks, porém não quero que ela deixe de ser quem é. Espero mesmo que isso não aconteça.


Cersei
Em Porto Real a história começa a caminhar com os irmãos Lannister buscando se fortalecer. Tivemos uma amostra de como Cersei tem "rastreado" os comentários maldosos que as pessoas têm feito sobre ela, além de percebermos como o Montanha zumbi tem causado terror por onde passa, o que nos leva a cena do conselho real, e o bisonho peido de medo do Meistre Pycelle. A briga pelo poder vai ser braba ali, especialmente se percebermos que Rei Tommen continua alheio de tudo que acontece, indo pessoalmente confrontar o Alto Pardal, que já começa a exercer seu poder de manipulação sobre ele.

Sam
Foi bacana ver Sam novamente, né? O personagem esbanja carisma e sua relação com Gilly me traz um conforto que não é comum na série. Isso não costuma ser bom em GoT, mas fiquei curioso em poder conhecer um pouco da família do melhor amigo de Jon Snow. Sam é um daqueles personagens que aparentemente não têm grande importância para a trama, mas que pode se revelar indispensável no futuro. Assim espero.

Jon
Foi gratificante perceber que o episódio começaria de onde o anterior havia terminado, não podia ser diferente. Jon Snow definitivamente voltou, e deu um frio na barriga vê-lo responder as perguntas de Davos e Melisandre, mostrando que após seu fechar de olhos nada havia. A sacerdotisa vermelha, aliás, de olhos arregalados, mostrou que retomou parte de sua confiança, já trazendo a velha ladainha que falava ao ouvido de Stannis. Senti falta de uma cena de Jon com Fantasma, mas tudo bem.

"O home que dá a sentença deve brandir a espada". Aprendemos isso com Ned Stark no primeiro episódio de GoT e aqui vemos o Lorde Comandante renascido fazê-lo novamente. Nem em seu últimos minutos de vida Sir Alliser Thorne deixou de demonstrar seu desprezo por Jon (que maldito!), no entanto, suas palavras certamente ajudariam o rapaz a tomar a decisão que tomou em seguida. De Olly só tivemos a feição de desprezo, seguida da falta de feição após o enforcamento. E o episódio se encerra com o bastardo Jon Snow, Lorde Comandante, deixando seu cargo para trás e deixando claro que sua patrulha terminou. Não sei vocês, mas eu vibrei aqui em casa. Até semana que vem!

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...