Game of Thrones 6x05 | The Door


[spoilers]

Chegamos na metade da sexta temporada de Game of Thrones e se continuarmos nesse ritmo fica claro que estamos assistindo um dos melhores anos da série. É evidente que o tom conclusivo, onde as tramas começam a caminhar para um derradeiro final, ajuda nisso. E, nesse ponto, The Door revela-se surpreendentemente importante, com revelações que farão os fãs discutirem incansavelmente até o próximo domingo. 

Theon
Começando pelas Ilhas de Ferro e a "assembléia" para decidir quem será o novo Senhor(a) da casa Greyjoy. Adorei o fato de Theon reassumir sua identidade e ao mesmo tempo sofrer por isso. Era óbvio que seu passado voltaria para assombrá-lo em forma de chacota, e seu tio Euron não perdeu essa oportunidade. Gostei como ele manteve-se ao lado de Yara, como havia prometido, mesmo que não tenha adiantado. Ao menos foram espertos em partir antes que fossem assassinados, o que não impede que eles sejam caçados. Sobre Euron, que conceito interessante este do batizado - "O que está morto não pode morrer." - e sua intenção de aliar-se a Daenerys. Aguardo grandes momentos desse núcleo, algo que há algum tempo atrás não esperava.

Sansa
Já em Castelo Negro, como é bom ver Sansa assumindo a postura que sempre tivemos vontade que ela tivesse. Seu encontro com Mindinho foi um dos pontos altos do episódio, especialmente pela forma fria e consciente com que lidou com um dos traidores da família Stark. Ter o chutado daquela maneira é justo, mas ao mesmo tempo preocupante, pois sabemos do que Petyr Baelish é capaz. Também gostei muito da interação dela com Brienne e a forma com que a amazona tenta a alertar para os perigos de suas decisões, especialmente a mentira que contou a Jon, ao não assumir o encontro com Mindinho. Não gosto de pensar que ela e Brienne vão se separar neste momento, mas Sansa parece segura com Jon. Assim esperamos.

E o que foi Tormund e seu sorriso apaixonado para Briennão?


Arya
Sério que voltaram a trazer cenas da personagem treinando? Está cada vez mais difícil comprar a trama da jovem Stark do jeito que está, me parece um desperdício, mas espero estar enganado. Ao menos a cena em que Arya assiste a peça de teatro foi muito interessante, por fazer sua consciência balançar ao "reviver" a morte do pai e vê-lo retratado como uma piada. Foi bom também para atualizá-la dos acontecimentos em Porto Real, como o casamento de Sansa e Tyrion, por exemplo.

Tyrion
Em Meereen, o Meio-Homem traça uma nova estratégia ao buscar aliança com Kinvara, do Templo Vermelho de Volantis. Como Suma Sacerdotisa, ficou evidente o quão a mulher é poderosa, indo muito além do que já vimos com Melisandre, por exemplo. Ao menos é o que parece, visto que a mulher citou fatos do passado de Tyrion e também de Varys, que se precipitou. Não sei vocês, mas essa estratégia não me cheira bem.

Daenerys
Tivemos uma cena curta da Mãe dos Dragões, porém deveras emocionante. Os últimos acontecimentos não haviam permitido que ela tivesse uma conversa apropriada com Sor Jorah, e vê-la perdoá-lo foi outro ponto alto desse 6x05. Mais que isso, Mormont confessou sua paixão por sua rainha e revelou seu escamagris, que já toma quase todo seu braço. Daenerys então ordena que ele vá em busca de uma cura e que retorne saudável, pois ela o quer a seu lado quando estiver governando os Sete Reinos. Não queria vê-los se separar, mas a cena foi muito bonita, uma interpretação tocante de Emilia Clarke, demonstrando uma humildade que não estamos acostumados a ver na personagem.


Bran
Muito além da Muralha tivemos revelações que irão martelar em nossa cabeça até o próximo episódio, à começar pela origem dos White Walkers. Quem diria que eles haviam sido criados pelos Filhos da Floresta? Não deu pra entender bem o que de fato ocorreu ali, quando a garota apunhalou o homem amarrado a arvore, mas é evidente que trata-se de um ritual mágico e que, portanto, não precisa de muita explicação. Apenas não gostei da forma repentina como a cena entrou na edição do episódio, me parecendo menos importante do que de fato deveria ser.

Já havia dito em reviews passadas que o dom de Bran permitiria grandes momentos para essa temporada e não estava enganado. Encantado pelas visões e frustrado pelas limitações impostas pelo Corvo de Três Olhos (algo que ficou claro em episódios passados), o garoto resolve "viajar" por conta própria e acaba cometendo um erro grave. Achei assustador o fato do Rei da Noite conseguir enxergá-lo e rastreá-lo através do toque em seu braço. Será que foi algo momentâneo ou Bran agora será perseguido eternamente pelos White Walkers? Não sei dizer, mas "com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades", já dizia o Homem-Aranha, e o jovem Stark terá de arcar com as consequências de seus atos.

Numa cena de invasão inquietante, vimos a caverna que servia de refugio ruir e o Corvo de Três Olhos morrer (que cena incrível o momento em que ele se "desfaz"). Os Filhos da Floresta, talvez com certo sentimento de culpa pelo que criaram, se sacrificam para salvar Bran e os outros. Toda cena de sacrifício é emocionante e perturbadora ao mesmo tempo, e teríamos outra logo a frente...  

Muitos fãs teorizavam que as visões de Bran teriam alguma influência na "transformação" de Hodor, mas ninguém sabia ao certo como. Acredito que os produtores (muito provavelmente em parceria com George R.R. Martin) acertaram a mão nessa revelação. Toda a montagem em que vemos Wylis desfalecendo em Winterfell enquanto era sacrificado para segurar a porta (hold the door) foi de partir o coração. Foi mais um daqueles momentos que ficarão guardamos na lembrança dos fãs de GoT pra sempre, ao menos na minha ficará. Com tudo que aconteceu acabou nem dando tempo de lamentar a morte de Verão. Prova de que a série sabe trabalhar muito bem nossas emoções. Até semana que vem!

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...