CCXP 2016 | Uma vez rainha, sempre rainha


Dez da manhã e eu estava adentrando a Comic Con Experience, no segundo dia do evento, já fui logo me direcionando para meu principal foco: as 12 armaduras de ouro dos Cavaleiros do Zodíaco. Seguindo a dica do Daniel (o Cinéfilo em Série) que já havia visitado os estandes no dia anterior (leiam o texto dele sobre os estandes e a experiência de estar no evento na quinta feira) e me avisando que lotaria fácil. Tive que andar todo o pavilhão, o que foi bom, porque já fui visualizando onde ficavam todos os estandes que tinha vontade de visitar. Chegando no estande d Bandai já me tremi todo: as 12 armaduras em tamanho real, brilhantes, lindas, estavam bem na minha frente.

Esse foi um momento especial pra mim, já que assisto Cavaleiros do Zodíaco desde 1994, na época da TV Manchete, e eu nunca imaginei que veria as armaduras de ouro assim. Na boa, eu sentia até o cosmo delas ali! Sério mesmo! Ok, talvez eu deva largar o álcool... O mais legal de tudo é que o estande ainda estava vazio quando cheguei, mas tal qual a subida das 12 casas, quando cheguei à armadura de Virgem, o estande começou a lotar. Tirei foto das armaduras, vi outras action figures lindas que lá estavam expostas. Tinha Bruce Lee, Sailor Moon, Dragon Ball, bonecos com holograma de gole como o Vegeta dando o Final Flash ou o Shaka emanando seu cosmo, Naruto, os outros cavaleiros, etc. Na minha opinião, já digo aqui, foi meu estande preferido, porque essa é a minha vida, esse é o meu clube. Deveriam trazer as armaduras todos os anos, inclusive.


Após esse momento épico, comecei a minha peregrinação pelo evento, sempre focando em tirar foto de todo cosplay que passava pela minha frente. Nessa caminhada decidi seguir outra dica do Dani: o estande da Gillette era uma barbearia, bem em frente ao estande de Star Wars, e se você fizesse a barba lá você ganhava um brinde no final. O curioso é que o tal brinde foi algo não anunciado, então você só saberia que ganharia algo se alguém te falasse ou você fosse lá. Eu tinha feito a minha “barba” uns dias antes, tinha só uns pedacinhos de pelo embaixo do queixo, mas fui lá mesmo assim. Achei engraçado pois jurava que o barbeiro só iria tirar esse pelinho restante e fim, coisa de 3 minutos, mas não, ele seguiu todo o processo de se fazer uma barba profissional e eu só pensava “eita”. Colocou toalha quente na minha cara, loção pós-barba, essas paradas todas aí. Então, no final, recebi meu brinde: um caderno irado de Rogue One: Uma História Star Wars! Haviam várias estampas diferentes. A minha, no caso, trazia um stormtrooper na capa, e dentro um pôster gigante do filme e vários adesivos. O caderno é muito legal, fiquei feliz com o meu primeiro brinde ganho na CCXP 2016.

Visitei alguns estandes como o da Netflix, que era um dos destaques do evento com suas atrações dinâmicas e interativas, mas acabei não participando de nenhuma. Andei pelo Artist Alley, que estava muito bem localizado, bem no meio do evento, o ponto ideal para os artistas mostrarem suas artes, já que todo mundo passava por lá. Então decidi ir tomar um cafezinho na sala de imprensa.

Nesse momento lembrei que Natalie Dormer iria dar autógrafos aos fãs e, obviamente, fui lá tentar a sorte, pois soube que no dia anterior a atriz estava muito acessível, beijando a todos e sendo muito simpática. Pensei: por que não hoje? Ao chegar nos estandes de sessão de fotos e autógrafos já tinha uma baita galera lá. O meu objetivo era ganhar um beijo no rosto, já estava ótimo, mas se rolasse qualquer outra coisa já estava de bom tamanho. Só de ver ela na minha frente já estaria bom pra mim. Fiquei cerca de 15 minutos lá esperando quando, de repente, ela saiu. Nessa hora fiquei nervoso pra caramba e comecei a recitar todos os nomes bíblicos, santos, messias e afins. Alguns segundos depois ela estava na minha frente (e na frente de umas 60 pessoas, se contei bem). Como sempre simpática demais, iniciou os beijos, mas eu não conseguia chegar até a grade, pois haviam duas pessoas na minha frente. Na hora pensei em estender a mão pra que ela pelo menos a tocasse. E ela me deu a mão. E meu mundo parou. Eu fiquei meio “QQTÁACONTECENU?”. Ela apertou muito forte, meio que dizendo “obrigado pelo carinho”. O pessoal do meu lado estava rindo muito, pois apesar do meu estado de transe, continuei fazendo minhas piadas, algo que o pessoal gostava. Mas o que é bom dura pouco e Natalie foi embora. Olhei para minha mão e decidi que não a lavaria mais! Pena que essa decisão durou apenas 20 minutos, desculpa Natalie, mas sempre que usar o banheiro deve se lavar as mãos, aprendi na pré-escola.


Eu realmente fiquei desnorteado com isso. Eu não imaginava! Ok que ganhar um beijo dela seria lindo, mas recebi a benção da rainha! Ela apertou minha mão, VOCÊS ESTÃO ENTENDENDO ISSO? Já era o meu dia preferido da Comic Con Experience! Decidi upar o vídeo o quanto antes, então voltei à sala de imprensa. Fiquei em pé no corredor ao lado da sala, já que o wi-fi pegava bem ali. De repente, silêncio. Olhei para o lado esquerdo e quem estava vindo? Milla Jovovich. Meu coração fez até um “TUM TUM” mais forte. Eu ainda nem tinha me recuperado da Natalie e logo em seguida Milla vindo? Comecei a filmar ela vindo pelo corredor. O pessoal estava muito quieto, só vendo ela passar divamente pelo corredor. Quando ela estava pra adentrar a porta da coletiva, falei “Milla” e dei um tchauzinho. Ela olhou, sorriu e retribuiu meu tchau. 

Mano.

Se tinha algo que nunca imaginaria é ver, em questão de minutos, Natalie Dormer e Milla Jovovich, duas mulheres que simplesmente amo. Uma tocou minha mão e transmitiu sua energia (eu acredito nessas coisas, me deixa) e a outra me deu tchau com o sorriso mais maravilhoso desse universo todo. Fui até tomar outro café. Na verdade eu tomo café em qualquer ocasião. Café é vida. Se pudesse injetaria café como a Lorelai disse em Gilmore Girls.


Vídeo postado, voltei ao pavilhão para continuar minha cobertura e fotografar mais cosplayers. Tentei ir no VR de Westworld que a HBO estava promovendo, mas já havia aquela fila imensa para entrar. Na verdade “fila” é o sobrenome da CCXP. Tem fila pra tudo. Até tem fila para entrar na fila. Também passei pelo estande da Warner Bros, pela Sony, onde havia cenários para fotos dando a impressão de que você estava subindo o prédio, no melhor estilo Homem-Aranha, bem maneiro. Na Disney havia uma sessão de Rogue One, uma da Marvel Studios (com alguns de seus filmes, como Guardiões da Galáxia 2 e Thor: Ragnarok). Também vi o "salto da fé", atividade que a Fox desenvolveu para promover Assassin's Creed, e o estande da Paramount, onde era possível fazer um GIF irado com o participante desaparecendo, bem ao estilo da Major em Ghost in the Shell.

Depois disso tudo resolvi encontrar minha amiga Michelle, que também estava fazendo a cobertura do evento. Vimos o Mark Pellegrino sendo muito simpático com suas fãs. E vimos Natalie Dormer sair mais uma vez para abraçar os fãs, porém ela não chegou até onde estávamos. Infelizmente, pois ainda queria meu abraço. Pelo menos a Michelle conseguiu filmar o produtor de Supernatural, que também estava por lá e me pareceu um senhor bem simpático.

E depois de muito mais fotos com cosplayers, o 2° dia de CCXP se encerrava. Agradeço a Michelle pela companhia, pela ajuda na cobertura e por me aturar repetindo à todo momento que “eu peguei na mão da Natalie”. No próximo texto: painéis do auditório Cinemark de volta com James FUCKING Gunn!

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...