CRÍTICA | She's Beautiful When She's Angry

Direção: Mary Dore
Roteiro: Mary Dore
Elenco: Chude Pamela Allen, Alta, Judith Arcana, entre outros
Origem: EUA
Ano: 2014


Todo dia são divulgados casos de violência, assédio e morte de mulheres. Estamos em 2018, mas temos a impressão de que o direito das mulheres nunca foram tão ameaçados. Como iremos responder a tudo isso? O feminismo é uma das reações possíveis e o documentário She's Beautiful When She's Angry (Ela é Linda Quando Está com Raiva, em uma tradução literal), disponível no catálogo na Netflix, pode te ajudar a entender um dos movimentos feministas mais importantes da história. 

Lançado em 2014, o longa-metragem resgata a trajetória do movimento, ao relembrar a chamada segunda onda feminista que ocorreu na década de 60 nos Estados Unidos. Dirigido pela cineasta Mary Dore (The Good Fight: The Abraham Lincoln Brigade in the Spanish Civil War), a obra é estrelada por figuras importantes do feminismo contemporâneo como Betty Friedan, autora de A Mística Feminina, e Kate Millet, da obra Política Sexual.

Para além de fazer um panorama isento ou simplificar o feminismo, o documentário revela com franqueza algumas problemáticas e contradições daquela época. A narrativa se constrói a partir de arquivos históricos, vídeos de protestos, trechos de entrevistas e comerciais antigos, além de entrevistas mais atuais. Logo nas primeiras imagens mostradas, vemos que as reivindicações que as mulheres fazem hoje (como, por exemplo, o slogan “meu corpo minhas regras”), já faziam parte das pautas nos anos 60. 

Foto: Divulgação

O movimento feminista sempre foi um movimento plural, no qual várias vozes encontravam espaço , seja para discordar ou concordar em relação às principais questões da luta. O trunfo de She's Beautiful When She's Angry é esclarecer todas essas nuances, que quando mal exploradas, muitas vezes geram sérios problemas.

No decorrer da narrativa é possível ter contato não somente com a corrente hegemônica do feminismo branco de classe alta, mas também da recém-nascida vertente lésbica e negra. Além de sua pluralidade vocal, o filme toca em questões chave como a luta contra o assédio sexual e o estrupo, o questionamento dos ideais de feminilidade e a problemática do aborto. 

She's Beautiful When She's Angry pode servir como o primeiro passo para quem ainda não conhece a luta das mulheres pela garantia de seus direitos. Isso é importantíssimo, afinal, antes de criticarmos qualquer movimento, é preciso primeiro conhecê-lo.

Excelente

Foto: Divulgação

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...