CRÍTICA | Todos os Paulos do Mundo


Direção: Rodrigo de Oliveira e Gustavo Ribeiro
Roteiro: Rodrigo de Oliveira e Gustavo Ribeiro
Elenco: Paulo José, Selton Mello, Fernanda Montenegro, entre outros
Origem: Brasil
Ano: 2017


Mais que uma homenagem a Paulo José, um dos maiores atores brasileiros vivos, o documentário Todos os Paulos do Mundo, produzido por Vania Catani (O Palhaço) e dirigido por Gustavo Ribeiro (Pássaros na Boca) e Rodrigo de Oliveira (Teobaldo Morto, Romeu Exilado), é uma carta de amor ao cinema. Mesclando acontecimentos recentes recentes com momentos de sua trajetória na sétima arte, a obra permite ao espectador se enxergar em tela em diversos momentos da vida do ator, do Cinema Novo até os dias atuais.

Com um fundo escuro e narração em off, a obra nos apresenta momentos inesquecíveis de Paulo José (O Homem Que Copiava) atrelados a pensamentos do mesmo:

“O espectador precisa olhar fundo no meu olho e saber que tem gente ali dentro.”

Outras citações são lidas e interpretadas por grandes companheiros do artista. Nomes como Flávio Migliaccio (Mato Sem Cachorro), Fernanda Montenegro (O Auto da Compadecida), Joana Fomm (Nova Amsterdam) e Selton Mello (O Filme da Minha Vida), permitem ao público compreender um pouco sobre a vida de Paulo José, mas também as técnicas utilizadas para viver seus personagens, sem perder a essência do que é de fato atuar.

Foto: Vitrine Filmes

O documentário tem forma de poesia, com a retratação da experiência traduzida em valores, a arte de atuar experimentando novas possibilidades e a realização do que se sabe e da melhor maneira. Paulo José, de certa forma, é uma síntese da história do Brasil, com a interpretação de tipos que remetiam à realidade, à utopia, à tragédia e à alegria. Tudo isso explica a eloquência e a complexidade do ator ao longo dos anos, realizando trabalhos com excelência, espontaneidade e elegância. Um ator que foi testemunha e ao mesmo tempo agente das diversas transformações sociais pelas quais o país passou no último século.

A produção impressiona não apenas pela história de seu homenageado, mas também pelo trabalho de montagem e pesquisa, que remete à estética do Cinema Novo, ao Neorrealismo Italiano, bem como o classicismo da Nouvelle Vague. Interconexões que nos levam à admiração, ao fascínio e a um exercício à cinefilia.

Todos os Paulos do Mundo é um documentário leve, imersivo e, por vezes, despretensioso. Uma obra que reconhece uma trajetória vitoriosa e que passeia pela nossa história e cultura. Viva o cinema. Viva, Paulo José!

Foto: Vitrine Filmes

Ótimo

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...