CRÍTICA | Sierra Burgess é uma Loser

Direção: Ian Samuels
Roteiro: Lindsey Beer
Elenco: Shannon Purser, Kristine Froseth, RJ Cyler, Noah Centineo, Lea Thompson, Alan Ruck, entre outros
Origem: EUA
Ano: 2018


Desde o lançamento da primeira temporada de Stranger Things uma comoção tomou conta dos internautas fãs da série em relação a personagem interpretada por Shannon Purser – que na produção dos Irmãos Duffer deu vida a Barb por apenas dois episódios. A atriz também fez uma ponta em outra série, Riverdale, onde a hashtag que viralizou na internet - #JusticeForBarb - foi utilizada, substituindo apenas o último nome da personagem, Ethel, para se adequar a trama da série teen.

Com o interesse de surfar nessa onda e na busca para encontrar uma história que pudesse realmente trazer redenção a imagem ligada à Barb, a Netflix traz Purser como protagonista de sua nova comédia romântica: Sierra Burgess é uma Loser (Sierra Burgess is a Loser), longa que estreou recentemente no catálogo da gigante do streaming. 

O roteiro é uma adaptação moderna do clássico espetáculo teatral Cyrano de Begerac, de 1897. Na peça francesa, Cyrano é um poeta com uma aparência pouco agradável, que envia cartas a sua amada. Na premissa atualizada, Sierra (Purser) é musicista e troca mensagens de texto com Jamey (Noah Centineo). Devido a um engano, o rapaz acredita que a receptora de suas mensagens seja Veronica (Kristine Froseth), a garota mais popular do colégio.

Foto: Aaron Epstein / Netflix

Apesar do contexto de comédia romântica ser a premissa principal aqui, a trama apresenta um discurso interessante sobre a super valorização da aparência, um tema absurdamente clichê ao gênero, mas que ao mesmo tempo soa atemporal, casando bem dentro do contexto. Os padrões estéticos sempre existem, porém a beleza conceito relativo, e vai muito além de um corpo perfeito ou um rosto bonito. 

O arco narrativo mais bem desenvolvido acaba sendo da personagem interpretada por Kristine Froseth (O Rebelde no Campo de Centeio: A Vida de J.D. Salinger). A patricinha mimada que é acostumada a diminuir os outros apenas para sentir-se bem consigo mesma traz em seu plano de fundo um contexto familiar perturbador – novamente, clichê – mas que cresce aos olhos do espectador em sua tentativa de transformação. Veronica é, no fim das contas, o contraponto perfeito para a protagonista.

Mesmo sem conseguir ser muito original, de quebra apresentando um desfecho totalmente previsível, Sierra Burgess é uma Loser consegue ser um filme agradável e que faz jus a fama recém adquirida. No fim das constas, vale a pena perder um tempinho com Noah Centineo (Para Todos os Garotos Que Já Amei) mais uma vez.

Foto: Aaron Epstein / Netflix


Bom

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...