CRÍTICA | A Caminho de Casa

Direção: Charles Martin Smith
Roteiro: W. Bruce Cameron e Cathryn Michon
Elenco: Ashley Judd, Jonah Hauer-King, Edward James Olmos, Alexandra Shipp, entre outros
Origem: EUA
Ano: 2019


Você é uma daquelas pessoas que choram com filmes sobre animais? Então prepara-se, pois A Caminho de Casa (A Dog's Way Home) é esse tipo de longa-metragem, daqueles que vale a pena levar um lencinho na bolsa para o cinema. Trata-se de mais uma adaptação de um livro de W. Bruce Cameron, mesmo autor e roteirista responsável por Quatro Vidas de um Cachorro (A Dog's Purpose), lançado em 2017.

Na trama somos apresentados a Bella (dublada por Bryce Dallas Howard), uma cadelinha que vivia embaixo de uma casa abandonada com a sua família de cães e gatos, um lar onde a felicidade reinava. Certo dia o Controle de Animais é acionado e sua mãe acaba levada embora. A filhotinha então passa a ser cuidada por uma gata, em uma relação de puro instinto, contrariando todas as "lendas" de que as espécies não se dão bem.

Adaptada a sua nova família de gatinhos, Bella um dia conhece Lucas (Jonah Hauer-King), um estudante de medicina veterinária que trabalha como voluntário em um hospital local, onde cuida de pessoas aposentadas pelas Forças Armadas, nascendo então uma bela amizade.

Foto: Sony Pictures

O roteiro de Cameron e Cathryn Michon (Juntos Para Sempre) retrata com exatidão o amor que um cão tem pelo seu companheiro humano, bem como sua reciprocidade. Aquele tipo de sentimento inexplicável, que só quem já teve um animalzinho consegue entender com perfeição. É como se estivéssemos ouvindo nossos companheiros o tempo todo, quando eles querem brincar, dormir ou ficar do nosso lado. O enredo é delicado nesse sentido, abordando até mesmo a depressão e como um bichinho pode ajudar a controlar a doença, de certas formas.

Em determinado momento da narrativa, Bella acaba separada de sua nova família, quando encontrada pelo Controle de Animais nas ruas da cidade, fruto de uma lei que proíbe cães de caça da raça Pitbull no local. A partir daí somos apresentados a uma longa jornada da cadelinha, que tenta a todo custo reencontrar sua família, algo semelhante ao que já vimos em A Incrível Jornada (Homeward Bound: The Incredible Journey), de 1993.

É então que o espectador é levado a acompanhar cada obstáculo enfrentado por Bella, alguns perigosos, outros até improváveis, como quando a cachorrinha inicia uma amizade com uma puma, gerando momentos que me fizeram enxugar os olhos algumas vezes, confesso. Durante sua caminhada de volta para casa, nossa protagonista canina ajuda muitas pessoas, de um casal gay a um veterano sem-teto no fundo do poço, trazendo alegria e consolo a todos que cruzam seu caminho e conhecem seu espírito único.

Foto: Sony Pictures

A Caminho de Casa é esse tipo de obra, que te emociona, que te faz chorar, mas que ao mesmo tempo nos dá uma bela lição sobre amizade e lealdade. E se você, como eu, ama os animais, seu coração provavelmente transbordará de amor nas sala de cinema.

Bom

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...