REVIEW | Arremesso Final



Arremesso Final (The Last Dance) é uma minissérie documental de 10 episódios produzida pela ESPN e distribuída globalmente pela Netflix. Dirigido por Jason Hehir (Andre the Giant), a série mostra a dinastia do Chicago Bulls, uma das mais marcantes da história do basquete e do esporte mundial, com foco na carreira de Michael Jordan (Space Jam: O Jogo do Século) - considerado o melhor jogador de basquete de todos os tempos - e na última temporada do time juntos, batizada de "The Last Dance" (A Última Dança).

Em 1998, uma equipe de filmagem teve acesso total à rotina dos Bulls e de seu técnico, Phil Jackson, que comandava o time desde 1989, período em que a franquia conquistou seis campeonatos da NBA (National Basketball Association). As imagens eram inéditas até hoje, já que apenas agora Jordan deu o aval para a exibição. E, se isso não bastasse, também passeamos pelos gloriosos anos anteriores do time.

Estruturalmente o documentário chama atenção por sua linha temporal, ao fixar todos os episódios na temporada final de 1998 e voltando sistematicamente no tempo para encontrar paralelos temáticos não apenas da equipe, mas da trajetória de seus principais nomes, com momentos cruciais que os levaram até ali. Dessa forma, é possível acompanhar a progressão de Jordan de um novato na NBA até se tornar o maior jogador da história do esporte, da mesma forma que vemos o Chicago Bulls transformar-se de uma equipe sem tradição na franquia a ser batida.

Foto: Andy Hayt/Netflix

Vale ressaltar que, apesar do foco inevitável em Michael Jordan, há espaço suficiente para conhecermos um pouco mais dos componentes mais importantes da "última dança". Phil Jackson, Scottie Pippen, Dennis Rodman (A Colônia) e Steve Kerr são alguns dos nomes que ganham quase episódios para chamar de seus, enriquecendo ainda mais a produção e valorizando aqueles que lá estavam ao lado gênio.

Como entretenimento, Arremesso Final é impulsionado pela nostalgia e pela empolgação de registros históricos dentro das quadras, pontuados com entrevistas atuais e francas, que revelam muitas curiosidades que deram o que falar.

Jornalisticamente, as entrevistas também são essenciais ao dar voz a todos os que lá estiveram. Dessa forma, a produção não "endeusa" ou "vilaniza" nenhum deles, apenas apresenta ao público percepções e pontos de vistas diferentes para que cada um faça seu juízo de valor. Todos têm seu lado humano retratado e todas as histórias apresentam diversos pontos de vistas: os jogadores, os dirigentes, os adversários, jornalistas, personalidades, entre outros.

Evidentemente Michael Jordan acaba sendo a figura mais exposta, já que o documentário não se priva de explorar suas nuances de personalidade, mostrando tudo que o tornou um ídolo do esporte e símbolo cultural, mas sem deixar de lado todas as polêmicas que o rodeavam. Jordan é retratado como um competitivo nato, com uma gana quase desumana de vencer acima de tudo. Tal característica o tornou de fato vitorioso, mas não sem um histórico de tirania evidente, já que exigia demais (por vezes exageradamente) de seus companheiros.

Foto: Jeff Reinking/Netflix

Arremesso Final é tão impressionante e bem executado que acaba se tornando uma obra para todos os públicos, sem a necessidade de ser um fã de basquete para apreciar o que é exibido ali. Trata-se de um jogador e de um time que mudaram a história do esporte e da cultura norte-americana e mundial, algo ressaltado inclusive por Barack Obama no episódio final.

É um retrato convincente e abrangente sobre a magnitude daquele time do Chicago Bulls e de seu principal astro. Uma mistura de imagens de arquivo impressionantes que são, de certo, uma das melhores coisas lançadas em 2020.

"Quando virem esse documentário, vão pensar: 'Ele não era um cara legal. Era um tirano'. Isso é o que você acha, pois nunca ganhou nada. Eu queria vencer, mas queria que meus companheiros fizessem parte disso."
Michael Jordan

Excelente

Comentários