5 Animes de Shinichiro Watanabe


Os fãs de animações orientais e de Blade Runner foram surpreendidos com a revelação do curta Black Out 2022, que foi lançado no final de setembro. Ele é um prólogo para Blade Runner 2049, que chegou ao cinema este ano, mas além disso, é produzido por Shinichiro Watanabe.

Para quem não ligou o nome a pessoa, ele é o diretor responsável pelos animes Cowboy Bebop e Samurai Champloo, ambas obras bem elogiadas por sua originalidade e por prestar tributos a diversos gêneros do cinematográficos. As influências do cinema noir dos anos 50 e dos filmes de ação de Hong Kong, ajudaram a quebrar diversos paradigmas das animações japonesas.

Watanabe começou sua carreira na animação no estúdio japonês Sunrise. e por um longo tempo foi supervisor de direção e storyboard. Não demorou muito até emplacar trabalhos próprios e muito cultuados, se tornando referência até para diretores de Hollywood. Que tal conhecer alguns trabalhos desse excelente diretor de animação?


Cowboy Bebop


A primeira grande obra de Watanabe estreou em 1998. A série “neo-noir” ou “space western” acompanha um grupo de caçadores de recompensa abordo da nave espacial Cowboy Bebop. O ano em questão é 2071, mas o diretor consegue fazer uma excelente ligação entre o mundo futurista e o passado.

A animação faz referência a diversos gêneros de cinema. Comédia, filmes noir, filmes de ação e de kung fu estão presentes em quase todos os episódios. Os cinéfilos vão ver influências de clássicos de John Woo, Stanley Kubrick e até Ridley Scott. E diferente da maioria das animações, ele aborda assuntos mais profundos como existencialismo, solidão e tédio.

Outro destaque é a constante ligação com a música. Por exemplo, Bebop é um estilo de jazz. E cada título dos 26 episódios fazem referências a grandes clássicos do rock. O sucesso foi tão grande que rendeu um filme de animação lançado em 2001.


Animatrix 


Com o sucesso de Cowboy Bebop, Watanabe recebeu a atenção de diversos diretores de Hollywood. Em 2003, as irmãs Wachowski o convidaram para dirigir duas animações do projeto Animatrix, uma antologia com histórias sobre o universo dos filme da franquia Matrix.

Os curtas Kid’s Story e Detective Story apresentam contos que envolvem os personagens do longa-metragem pelo o ponto de vista de pessoas que estavam dentro da Matrix. E apesar de serem dirigidos e escritos por Watanabe, cada um possui traços e linhas narrativas diferentes.

Kid’s Story tem desenhos que tentam se aproximar da realidade, ao mesmo tempo em que mostra referências de obras de arte. Sua narrativa é muito mais poética ao mostrar o garoto acreditando que existe uma realidade fora da Matrix, e que poderia ser resgatado por Neo, protagonista da franquia nos cinemas.

Detective Story apresenta tudo que se esperava de uma animação de Watanabe. Uma narração no estilo noir, com lindos traços de anime e uma bela fotografia preto e branco. E como fica claro pelo título, ele apresenta um detetive que se envolve em um caso para investigar a personagem Trinity.


Samurai Champloo 


Essa é a segunda série produzida por Watanabe e lançada em 2004. Situado em um Japão alternativo da Era Edo (1603 -1868), os episódios acompanham a história da garota Fuu em busca do samurai que cheira a girassol. No meio do caminho, ela encontra dois samurais que a ajudam em sua missão.

Talvez, em um primeiro momento, o enredo não soe tão atrativo, mas o desenvolvimento dos personagens junto aos excelentes e coloridos traços, fizeram Samurai Champloo cair no gosto do público. O roteiro ainda tem a ousadia de misturar fatos históricos ao arco dos personagens principais. Personalidade importantes da cultura japonesa, como o famoso Miyamoto Musashi fazem “pontas” em alguns episódios.

E abusando da “licença poética”, assim como em Cowboy Bebop, a história tem uma forte ligação com a música. Principalmente com o hip-hop, o que faz uma grande e rica mistura de culturas, agraciando os fãs com uma trilha sonora bem interessante.


Space Dandy 


Misturando ficção científica com comédia, Space Dandy também pode entrar na categoria de “space opera”. Produzido pelo estúdio Bones (Fullmetal Alchemist), o anime teve Shinichiro Watanabe como diretor geral e estreou na TV japonesa em 2014. 

De forma bem divertida, ele apresenta as aventuras de Dandy, um caçador de aliens que viaja os planetas com a intenção de encontrar raças raras. Ele é acompanhado por um robô assistente chamado QT e Meow, um alienígena muito parecido com um gato. 

A intenção da produção é divertir, pois o trio não tem muito êxito em suas missões e se envolvem EM situações extremamente cômicas. Isso fica claro nos traços da animação, que exageram nas expressões dos personagens, fazendo bastante referência aos anos 80.

Ao contrário da maioria dos trabalhos de Watanabe, o anime teve duas temporadas com 13 episódios cada. Space Dandy também ficou bem conhecido por apresentar diversos easter eggs relacionados a obras antigas de ficção científica, música, outros animes e a cultura da internet.


Terror in Resonance 


Lançado em 2014, Terror in Resonance é o mais recente trabalho do diretor. Em uma versão alternativa da Tóquio atual, o clima de tensão cresce na população após um ataque terrorista. A ação foi reivindicada por um grupo terrorista chamado Sphinx, que são dois adolescentes órfãos chamados Nine e Twelve.

A narrativa se desenvolve ao apresentar os motivos reais que levaram os garotos a promover os ataques e os planos que eles possuem para “dominar” o mundo. Do outro lado, o anime mostra membros do departamento de polícia de Tóquio e agentes do FBI realizando investigações com intenções de encontrar a dupla terrorista.

Ao contrário de Cowboy Bepop e Samurai Champloo, é difícil enxergar a identidade de Watanabe. Contudo, o desenvolvimento de cada personagem, até mesmo os secundários, é de causar inveja a muitas séries americanas. O mistério ao redor do passado dos protagonistas e o clima de thriller de investigação são perfeitos para a produção, assim como os traços muito bem feitos da animação.


Essas são cinco obras para entender um pouco sobre o trabalho de Shinichiro Watanabe, um diretor que elevou a qualidade dos animes no final dos anos 90, mostrando que é possível contar boas histórias com referências cinematográficas no formato de animação.

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...