CRÍTICA | A Incrível Jessica James

Direção: Jim Strouse
Roteiro: Jim Strouse
Elenco: Jessica Williams, Chris O'Dowd, Lakeith Stanfield, Noël Wells, entre outros
Origem: EUA
Ano: 2017


A Incrível Jessica James foi escrito e dirigido por Jim Strouse (Pessoas, Lugares e Coisas) já tendo em mente a atriz Jessica Williams (A Ressaca 2) para o papel principal, repetindo uma parceria, visto que ambos trabalharam em outros projetos no passado.

A história é bem simples e segue a vida da Jessica James (Williams), jovem dramaturga, professora de teatro que acabou de passar por um término de namoro que está afetando sua vida de uma forma inesperada. Entre tentativas não tão bem sucedidas de mover seus trabalhos artísticos para uma linha mais profissional, ela tenta balancear sua vida sem um parceiro. Vemos então uma personagem que tem dificuldades de se relacionar com o novo, ao mesmo tempo que consegue ser extremamente confiante em suas convicções. 

Trata-se de uma obra jovial, com cortes e montagens dinâmicas, e músicas que casam com a narrativa e a personalidade dos personagens. Além disso, discute temas atuais como racismo, feminismo e relacionamentos, conversando bem com o público que passa por essas dificuldades da vida, de ser jovem e enfrentar não apenas desilusões amorosas, mas também a dificuldade de fazer com que seu trabalho seja notado e respeitado, ao mesmo tempo que lida com a vida em si e todos os pequenos problemas que impactam nosso dia a dia e que podem nos fazer perder a esperança de "chegar lá" um dia.

Foto: Netflix

O filme foi produzido sob medida para Jessica Williams, o que é notável, já que a protagonista é moldada em torno dela, e não ao contrário. Pode parecer estranho, porém isso funciona bem, especialmente com o carisma apresentado pela atriz. É interessante, pois alguns atores têm esse poder de usarem sua própria personalidade para dar forma a um personagem. Não é a toa que o próprio Strouse escreveu o roteiro, fazendo com que a Jessica "James" pudesse vir a tona o mais próximo possível da "Williams".

Apesar dos acertos, o longa tem seus problemas. O roteiro, por exemplo, ainda que apresente os acertos citados, as vezes esquece de dar a ênfase que a história necessita, fazendo com que a narrativa se perca na tentativa de mostrar coisas que são extremamente corriqueiras, ou que simplesmente não agregam a história que está sendo contada, nos entregando cenas que focam em demasia na  personalidade da atriz, esquecendo do real problema que a personagem enfrenta.

Por outro lado, temos aqui uma fotografia muito bonita, que brinca com uma paleta de cores vibrantes que se intercalam graciosamente e criam personalidade à obra, bem como seu elenco coadjuvante, que faz um bom trabalho, somando para que a história se encaixe para a protagonista.

Foto: Netflix

Para concluir, A Incrível Jessica James é um filme de momento, ou seja, você precisa já ter passado, ou estar passando, por algo similar em sua vida para que seja criado um vínculo emocional mais forte com a história. Fora isso, o longa me pareceu mais um laboratório para a atuação de Jessica Williams, nessa parceria com Jim Strouse que vai se repetir em breve. Não é necessariamente ruim, mas podia ousar mais.

Regular

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...