CRÍTICA | Mais Uma Chance

Direção: Tamara Jenkins
Roteiro: Tamara Jenkins
Elenco: Kathryn Hahn, Paul Giamatti, Kayli Carter, Gabrielle Reid, entre outros
Origem: EUA
Ano: 2018


Não é incomum que escritores se utilizem de fatos para criarem estórias. Muitos, inclusive, buscam inspiração em suas tragédias pessoais, fazendo com que o trabalho de ficcionalização sirva como terapia para eles mesmos e para os outros. É exatamente isso o que faz Tamara Jenkins (A Família Savage) em seu novo trabalho. Mais Uma Chance (Private Life, 2018) é baseado na sofrida experiência de Jenkins rumo à maternidade, e apesar de não ter feito tanto alarde quando estreou no catálogo da Netflix, foi bem recebido tanto pelo público quanto pela crítica especializada.

A obra conta a saga do diretor de teatro Richard Grimes (Paul Giamatti) e da dramaturga Rachel Biegler (Kathryn Hahn), os quais, aos quarenta e tantos anos, querem de todas as maneiras ter um filho. Após inúmeras tentativas frustradas de engravidar e a espera infinita – e incerta – na fila de adoção, Rachel aceita uma última alternativa proposta pelo médico. Uma que ela e Richard haviam negado anos antes, mas que agora decidem considerar: implantar um embrião formado pela fecundação de um óvulo doado com o sêmen de Richard. Para tornar a situação um pouco mais "fácil", o casal resolve pedir para que a sobrinha, Sadie Barrett (Kayli Carter) seja a doadora.

Foto: Jojo Whilden / Netflix

Com muito humor e incrível sensibilidade, Jenkins coloca o público para assistir ao que acontece entre quatro paredes quando o sonho de conceber transforma-se quase que em um pesadelo (daí o título em inglês, Vida Privada). A desgastante corrida contra o relógio biológico e a maratona de médicos e injeções hormonais são apenas a ponta de um iceberg, cujas raízes são muito mais profundas.

O filme retrata o paradoxo vivido por uma geração de mulheres que adia a maternidade para buscar seu espaço no mercado de trabalho e que, quando decide engravidar, encontra um caminho mais tortuoso do que esperava. Acertadamente, o longa retrata também a perspectiva de Richard, mostrando como a expectativa da concepção afeta ambos os parceiros e como os embates decorrentes da frustração influenciam a paz de espírito do casal. 

O texto agridoce de Jenkins casa perfeitamente com as atuações de Paul Giamatti (12 Anos de Escravidão) e Kathryn Hahn (Perfeita é a Mãe 2), que conseguem transpor para a tela a complexa incompletude do casal. É impossível não se compadecer das batalhas diárias de ambos, ao mesmo tempo em que se ri da cumplicidade desconfortante entre os dois. Kayli Carter (Godless), por sua vez, encarna bem o papel da sobrinha, cujo amor inocente e, neste caso, irresponsável, contrapõe-se com a difícil missão recebida.

Foto: Seacia Pavao / Netflix

Com leveza e profundidade, Mais Uma Chance traz um retrato sincero das desilusões vivenciadas por casais que querem ter filhos, quando esses não vêm tão facilmente. Muito bem desenvolvido, o longa começa despretensioso, mas surpreende o público positivamente até o final. 

Excelente


--

Lívia Campos de Menezes é apaixonada por filmes, séries e boa música (leia-se rock'n'roll). Adora ler e viajar. Mora em São Francisco (CA), onde trabalha como produtora de cinema independente.

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...