OSCAR 2019 | Oscar, come to Brasil!


O brasileiro não espera uma música internacional viralizar para fazer paródia ou uma versão em PT-BR, que normalmente tende para a comicidade. mas um alguém surgiu com uma ideia mais ousada e não tradicional: abrasileirar as canções originais indicadas ao Oscar 2019

E hoje, dia 22/02, foi lançado em todas as plataformas de streaming, o novo EP do cantor, compositor e instrumentista Nathan, intitulado Oscar, Come to Brasil!

Nathan, que é brasileiro mas cresceu nos Estados Unidos, traz suas diferenças culturais e musicais, quebrando qualquer barreira artística que cogitem lhe impor, cruzando de um estilo a outro com rara facilidade. Rápido no flow da rima, elegante no tom do samba; cabe de funk à bossa na sua caixinha de inventar músicas. Eclético na escuta e na criação.

Estudante de cinema e com apenas 22 anos, esse é o seu segundo EP, no qual criou versões para as cinco faixas indicadas ao Oscar 2019, na categoria de Melhor Canção Original, podendo juntar suas duas maiores paixões: a música e o cinema. 

Foto: Divulgação

O projeto ganhou o nome de #DesafioDoOscar, pelo curtíssimo prazo (de apenas uma semana) para todas as gravações e pelo mote de traduzir os arranjos originais em novos, com sonoridade mais brasileira. Gravado pelo Estúdio Camelo Azul e lançado pelo Selo Tuaregue, o álbum está sendo lançado às vésperas da cerimônia de premiação da Academia. 

A complexidade da jornada se agravou ainda mais pela diversidade nas escolhas da Academia este ano. Um dos destaques do álbum fica por conta da releitura de "When A Cowboy Trades His Spurs For Wings", onde o faroeste se encontra com o interior do Brasil, evocado por uma citação a Deus e o Diabo na Terra do Sol (1964), de Glauber Rocha (Terra em Transe), pela levada sertaneja e ainda pela alusão a "Trenzinho Caipira", de Heitor Villa Lobos.

“All The Stars”, de Kendrick Lamar (feat. SZA) e “Shallow”, de Lady Gaga, também estão presentes, e se destacam pelas participações das cantoras Nathy Veras e Gabi Porto. No álbum há também espaço para recriações mais enxutas, como na faixa “The Place Where Lost Things Go”, interpretada originalmente por Emily Blunt (O Retorno de Mary Poppins).

Deve-se destacar a sutileza de Nathan, seguro e sensível no vocal, e também no instrumental. É um novo artista que está se lançando e ainda tem muito para mostrar, mas sem dúvida já está longe da superfície.

Logo abaixo vocês conferem um dos resultados do projeto:


Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...