CRÍTICA | After


Direção: Jenny Gage
Roteiro: Susan McMartin
Elenco: Hero Fiennes Tiffin, Josephine Langford, Selma Blair, entre outros
Origem: EUA
Ano: 2019


A vida é repleta de desafios e armadilhas, seja no campo profissional ou pessoal, e dependendo de nossas escolhas, nossa trajetória pode se transformar em um caminho sem volta. Soa clichê, mas é esse contexto que norteia After, longa-metragem dirigido por Jenny Gage (Lenny) e baseado no romance homônimo de Anna Todd. Franquia essa que teve início como uma fanfiction sobre Harry Styles, na época membro do grupo One Direction. Com a popularidade da história, Todd transformou-a em um conto original.

A trama nos apresenta a Tessa Young (Josephine Langford), uma estudante dedicada, filha obediente e namorada fiel de seu parceiro de Ensino Médio. Ela ingressa no primeiro semestre da faculdade de Economia, com grandes aspirações para o futuro. No entanto, seu mundo protegido começa a se abrir quando conhece o misterioso Hardin Scott (Hero Fiennes Tiffin), um rapaz rebelde, que a faz questionar tudo o que sabia sobre si mesma e o que queria para sua vida.

O roteiro de Susan McMartin (Two and a Half Men) tenta seguir a trama original a risca, apresentando ao espectador o típico romance adolescente, bastante visto em filmes hollywoodianos, com pegação, beijos e intrigas entre jovens. De quebra, brincadeiras como "verdade ou consequência" e "passa-cartão" não ficaram de fora, deixando evidente que trata-se de uma narrativa voltada par ao público juvenil, com algumas doses dramáticas. Tudo dentro de um lugar comum, sem grande inovação.

Foto: Diamond Films

O primeiro ato pouco empolga, com personagens apáticos e uma enorme barriga de roteiro, que pouco acrescenta a narrativa principal. Quem espera rupturas profundas entre os sentimentos experimentados pelos protagonistas, bem como discussões sobre suas escolhas, se decepciona. O que salva a história são as referências literárias e o paralelo traçado com Orgulho e Preconceito, com uma jovem que acredita no amor e um rapaz que inicialmente é esnobe.

Em termos de atuação, o casal protagonistas consegue fazer com que o público se importe. Josephine Langford (7 Desejos) e Hero Fiennes Tiffin (Harry Potter e o Enigma do Príncipe) passam sinceridade a seus personagens, que enfrentam transformações, ainda que mínimas. A surpresa fica par ao retorno de Selma Blair (Segundas Intenções), atriz que vem afastada de grandes produções após ser diagnosticada com esclerose múltipla.

After, enquanto adaptação cinematográfica, está longe de apresentar de apresentar algo relevante. É uma espécie de Cinquenta Tons de Cinza (2015) adolescente, que abusa do tema sexualidade para tentar chamar a atenção.

Regular

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...