5 Motivos Para Você Assistir | Band of Brothers


Se existe uma unanimidade no mundo das séries de TV, ela se chama Band of Brothers. Você pode até não gostar da temática "Segunda Guerra Mundial", mas dificilmente poderá ignorar a qualidade da minissérie produzida pela HBO, em parceria com Steven Spielberg (Jogador Nº 1) e Tom Hanks (The  Post: A Guerra Secreta). A produção originou-se justamente do sucesso de O Resgate do Soldado Ryan (Saving Private Ryan, 1998), filme que rendeu a segunda estatueta do Oscar de melhor direção para Spielberg.

Na trama acompanhamos a trajetória real dos soldados da Easy Company, companhia de paraquedistas da elite do exército norte-americano. Somos apresentados ao seu árduo treinamento para a ação, passamos pelo Dia D, os principais eventos do final da Segunda Guerra, chegando ao término do conflito com a vitória dos Aliados. É claro que estou apenas pincelando os principais temas, há muito mais camadas a serem descobertas ao longo dos 10 episódios da produção.

Band of Brothers também venceu 6 estatuetas do Emmy, entre elas a de melhor minissérie. Se você nunca ouviu falar, ou de repente estava aguardando o momento certo para assisti-la, não perca mais tempo. Pra ajudar, te dou 5 motivos para você começar sua maratona agora!


 CONTEXTO HISTÓRICO 

Na minha opinião, o principal atrativo de Band of Brothers é o contexto histórico que ela apresenta. A obra é baseada no livro homônimo de Stephen E. Ambrose, que narra relatos dos próprios combatentes da Easy Company, alguns vivos até hoje. Evidentemente há espaço para uma licença poética ou outra, afinal, estamos falando de uma história contada do ponto de vista norte-americano, mas em sua grande maioria, os eventos são retratados fielmente. Isso possibilita ao espectador uma verdadeira aula sobre o maior conflito do planeta, contada do ponto de vista de quem esteve lá.

Sempre gostei da temática, mas foi interessantíssimo saber mais sobre o duro treinamento que os soldados enfrentavam antes de ir para a guerra, por exemplo. Ou mesmo descobrir sobre alguns conflitos específicos como o da floresta de Bastogne, na Bélgica, onde os soldados norte-americanos defenderam uma linha de combate em situações precárias. A minissérie ainda vai além, nos mostrando como se deu o momento de transição do término da guerra, com o rendimento do exército alemão e a forma como os soldados Aliados lidaram com isso.

Foto: HBO


 ELENCO 

Todo o elenco de Band of Brothers está muito bem em tela, sem exceções, algo essencial para toda obra que deseja passar veracidade em cena. Além disso, há algumas curiosidades bem interessantes. A primeira é que os protagonistas da minissérie, ainda que tenham feito um excelente trabalho, não fizeram grande sucesso fora dela, salvo algumas exceções como Damian Lewis (Homeland) e Michael Cudlitz (The Walking Dead). Em contrapartida, ao longo dos episódios somos apresentados a diversos coadjuvantes que hoje em dia são grandes estrelas de Hollywood. Nomes como Michael Fassbender (12 Anos de Escravidão), James McAvoy (Atômica), Simon Pegg (Missão: Impossível - Efeito Fallout), Tom Hardy (Mad Max: Estrada da Fúria) e, em menor escala, Jimmy Fallon (The Tonight Show Starring Jimmy Fallon).

Vale citar também o trabalho de David Schwimmer (Confiar) no papel do Tenente Sobel. O ator tem presença marcante no primeiro episódio, "Currahee", retornando em duas aparições pontuais em capítulos seguintes. Sua presença em tela é tão marcante que esquecemos que se trata do Ross Geller, de Friends. E isso é um feito e tanto.

Foto: HBO


 ROTEIRO 

Abordar a guerra do ponto de vista de quem lá esteve. Essa é a principal proposta de Band of Brothers, seguida a risca por seu excelente roteiro. A cada episódio somos apresentados a um ponto de vista diferente e enxergamos o conflito pelos olhos de algum personagem. É difícil citar algum que se destaca, visto que todos são ótimos, mas me arriscarei a fazê-lo.

"Bastogne" é um dos meus episódios favoritos, onde somos colocados na pele de Eugene Roe (Shane Taylor), um dos médicos da Easy Company. Entender o combate na visão de alguém que está lá apenas para socorrer seus companheiros é uma oportunidade ímpar no gênero, e que certamente deve ter servido de inspiração para obras recentes como Até o Último Homem (Hacksaw Ridge, 2016).

"The Breaking Point" traz o sargento Carwood Lipton (Donnie Wahlberg) como narrador, nesse que é um dos episódios mais empolgantes da minissérie, não apenas pelos feitos do próprio "Lip", mas também pelo que faz o oficial Ronald Speirs (Matthew Settle). E se você já assistiu ao episódio, sabe bem de qual momento estou falando.

"Why We Fight" nos traz o ponto de vista do oficial Lewis Nixon (Ron Livingston), grande amigo de Richard Winters (Damian Lewis) e que sofria de alcoolismo. Seu episódio é um dos mais impactantes da série, e não revelarei mais além disso para não roubar essa experiência de quem ainda não o assistiu.

Foto: HBO



 PRODUÇÃO 

Aqui trago um aspecto técnico que jamais pode ser ignorado em Band of Brothers. A minissérie foi exibida originalmente em 2001 - ou seja, há 17 anos - mas passaria facilmente por uma obra atual, tamanha a qualidade de sua produção. Estamos falando de nível cinematográfico, com atenção a cada detalhe, dos uniformes dos soldados às armas que eles carregam. Das locações europeias aos efeitos especiais práticos, que tornam tudo mais real aos olhos do espectador. Tudo soa realmente impressionante e impactante, especialmente quando visto em alta resolução de som e imagem.

O som, aliás, é outro aspecto a se destacar, assemelhando-se demais ao trabalho realizado no já citado O Resgate do Soldado Ryan. Lembra-se da abertura inesquecível do filme, com os soldados invadindo a praia da Normandia no Dia D? Cada confronto na minissérie faz jus a essa cena, mesmo que em menor escala em determinados momentos.

Irretocável é o adjetivo mais adequado para essa produção.



 WINTERS 

Por fim, é preciso destacar o principal nome da minissérie, Richard D. Winters (Lewis). Se a produção precisa de um protagonista eleito, certamente é deste personagem que falamos. Acompanhamos seu crescimento ao longo de cada episódio, não apenas no que diz respeito às patentes do exército, mas principalmente seu desenvolvimento pessoal e como a guerra o afetou como pessoa. Saber que Winters de fato existiu (e o momento em que nos damos conta disso é simplesmente inesquecível), é um dos pilares que fazem de Band of Brothers a obra-prima que é.

A Segunda Guerra Mundial foi um dos eventos mais terríveis que a humanidade já presenciou. Aprender com a história é essencial para que não cometamos os mesmos erros no futuro. Só depende de nós.

Foto: HBO

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...