Coisa Mais Linda | 1ª Temporada


Criada e dirigida por Heather Roth (I Was a Greenhouse) e Giuliano Cedroni (Sueño Florianópolis), Coisa Mais Linda é uma série brasileira produzida e exibida pela Netflix, cujo lançamento ocorreu em março de 2019. Trata-se de um reflexo da popularização da gigante do streaming no país, que vem apostando em produções nacionais de qualidade como 3%, Samantha! e O Mecaniscmo, por exemplo.

Composta por 8 episódios, a trama é ambientada no ano de 1959 e conta a história de Malú (Maria Casadevall), uma paulistana que se muda para o Rio de Janeiro com o marido com o intuito de abrir um restaurante. Entretanto, ele rouba todas as economias dela e foge. Ao conhecer a empregada doméstica Adélia (Pathy Dejesus), a escritora Thereza (Mel Lisboa) e junto de sua melhor amiga, Lígia (Fernanda Vasconcellos), a jovem acaba abrindo um clube noturno de Bossa Nova.

A produção se beneficia do contexto histórico do país, já que situa-se em um dos períodos mais efervescentes que o Brasil já teve, onde a música e a juventude agitavam-se, enquanto o país crescia com o plano de metas do presidente Juscelino Kubitschek e a construção de Brasília.

Foto: Netflix

Tendo como pauta central o feminismo, essa primeira temporada discute de forma coerente e sucinta temas como misoginia, machismo, preconceito, violência contra a mulher, relacionamentos abusivos e, claro, empoderamento feminino. Tudo isso sem cair em um discurso acadêmico ou elitista, sem demonizar o movimento, em uma época em que era quase impossível discutir tais temas.

No que diz respeito as atuações, as quatro atrizes principais conseguem desenvolver bem os conflitos pessoais de suas personagens. Mel Lisboa (Presença de Anita) vive, de longe, a persona mais bem desenvolvida entre as quatro, já que Thereza luta por sua individualidade e pelo direito de exercer uma profissão. Fernanda Vasconcellos (Pequeno Dicionário Amoroso 2) mostra de forma tênue a abdicação dos sonhos de Lígia em prol da carreira do marido. Pathy Dejesus (Rua Augusta) se destaca ao retratar Adélia e a realidade das domésticas - e negras - do Brasil. E por mais que Maria Casadevall (Ilha de Ferro) viva a protagonista da série, sua interpretação soa caricata e simplista, já que o discurso de Malú é forçado e cru.

Contando ainda com um clima saudosista e uma fotografia que se utiliza cores quentes e valoriza as locações da capital carioca, Coisa Mais Linda se mostra uma série necessária. Ainda que retrate tempos passados, os assuntos discutidos são contemporâneos e pertinentes para a realidade atual de nosso país. E que bom que já temos uma segunda temporada confirmada. É torcer para que a qualidade se mantenha.

Foto: Netflix


Ótimo

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...