5 Filmes Indispensáveis de Keanu Reeves


Notaram que de repente o mundo redescobriu o quanto Keanu Reeves (Caçadores de Emoção) é maravilhoso? E digo "redescobriu", já que o ator estrela filmes icônicos há pelo menos 30 anos.

Bom, a verdade é que desde a estreia de seus longas recentes e do anúncio de sua participação no jogo Cyberpunk 2077, o ator virou sensação na internet. E eu que não sou boba, achei que seria justo fazer uma lista especial com alguns de seus filmes que considero indispensáveis. A escolha não foi fácil, afinal a lista de Keanu Reeves como protagonista é longa, porém, destaco cinco títulos que merecem ser vistos pela primeira vez por você, ou então matar a saudade de algum filmaço que já viu. Bora lá?


Velocidade Máxima
(Speed, 1994)


Esse eu puxei lá da Sessão da Tarde! Aqui o ator ainda era bem novo, protagonizando  um longa de ação ao lado de uma também jovem Sandra Bullock (Gravidade), nesse que talvez seja um dos casais mais shippados da internet atualmente. Velocidade Máxima, dirigido por Jan de Bont (Twister), foi um dos primeiros sucessos do ator como galã e queridinho de Hollywood. No longa, o psicopata Howard Payne (Dennis Hopper) instala uma bomba no interior de um ônibus na cidade de Los Angeles e caso o veículo reduza a velocidade para menos que 80 km/h, ele explodirá. É nesse contexto de tensão que o policial Jack (Reeves) entra no ônibus em movimento e, ao lado de Annie Porter (Bullock), tenta manter a vida dos passageiros e realizar um resgate arriscado.

A quem diga que a atuação de Reeves aqui não é das melhores, mas a verdade é que o filme tem uma ótima dinâmica, mantendo um bom ritmo do começo ao fim, com muita ação, tensão e aquele romance clichê que não pode faltar. Não é uma produção de grandes pretensões, mas, além de ter marcado uma geração, ainda nos presenteia com uma ótima química entre os protagonistas.


O Advogado do Diabo
(The Devil's Advocate, 1997)


Advogado do Diabo traz o ator fazendo dupla com o incrível Al Pacino (Era Uma Vez em... Hollywood). O longa conta a história do jovem advogado em ascensão Kevin Lomax (Reeves), que até o momento não perdeu nenhum caso. Seu sucesso chama a atenção do dono da maior firma de advocacia de Nova York, John Milton (Pacino), que o contrata e o leva para a cidade. Lá a carreira de Lomax segue em ritmo acelerado, contudo sua esposa Mary Ann (Charlize Theron) não parece feliz e, com o passar do tempo, começa a ter visões demoníacas. Apesar disso, o protagonista está decidido a defender um homem acusado de triplo assassinato, deixando sua mulher e sua vida pessoal de lado.

A troca em cena entre Al Pacino e Keanu Reeves por si só já é motivo suficiente para que Advogado do Diabo entre nessa lista, mas, caso isso ainda não te convença, talvez o roteiro o faça. Isso por que o longa traz maneiras diferentes de apresentar o velho conceito da lição de moral e de passar uma mensagem.


Matrix
(The Matrix, 1999)


Não dá pra falar de Keanu Reeves sem falar de Matrix. Em um futuro distópico, onde a realidade assimilada pela maioria de nós é na verdade uma simulação conhecida como Matrix, as máquinas assumiram a Terra e subjugaram a raça humana, que é utilizada como fonte de energia atualmente. O hacker e programador Neo (Reeves) descobre a verdade após se encontrar com o misterioso Morpheus (Laurence Fishburne) e é atraído para uma rebelião contra essas máquinas. Nesse contexto, Neo também irá entrar em uma viagem de autodescoberta e poderá entender que a sua existência pode ser a chave para sobrevivência da humanidade.

O filme foi e ainda é revolucionário, sendo parte importante da história do cinema, não somente pela inovação que trouxe do ponto de vista técnico, mas por apresentar um roteiro complexo e inovador, com camadas a serem exploradas e uma infinidade de temas a serem discutidos: filosóficos, sociais, visuais, narrativos, semânticos, entre outros. É tanta coisa trabalhada ao longo da trilogia, completada por Matrix Reloaded (2003) e Matrix Revolutions (2003), que até hoje a obra é citada dentro da cultura pop e de diversos cursos de ensino superior, sejam eles sobre cinema ou não. Não a toa, um quarto capítulo foi anunciado recentemente. É aguardar e torcer pelo melhor.


A Casa do Lago
(The Lake House, 2006)




Após mais de 10 anos do lançamento de Velocidade Máxima, Sandra Bullock e Keanu Reeves voltam interpretar um par romântico em A Casa do Lago. O filme conta a história da médica Kate Forster (Bullock), que está prestes a deixar o seu refúgio pessoal, uma casa com arquitetura incrível a beira de um lago, para trabalhar em um hospital em Chicago, deixando uma breve carta para o próximo inquilino. Alex Wyler (Reeves), passa a ocupar a casa, que um dia foi obra de seu pai, um renomado arquiteto. Ao ler a carta, ele passa a trocar correspondências com a médica, ambos se apaixonam e precisam buscar uma maneira de se encontrar. Mas a casa do lago ainda guarda um importante segredo.

O longa é um dos motivos para tanta gente shippar o casal Bullock/Reeves, já que a química em tela é maravilhosa. É gostoso assistir o desenrolar da história de A Casa do Lago e ver a troca dos atores, ainda que eles fiquem boa parte do tempo separados. A obra emociona e mexe com o coração do espectador, lembrando romances como Cidade dos Anjos (1998) e Ghost: Do Outro Lado da Vida (1990).


De Volta ao Jogo
(John Wick, 2014)


Chegamos ao fim da lista com o longa que parece ter feito Keanu Reeves renascer para o grande público. Em De Volta ao Jogo, o ator interpreta John Wick, aquele que já foi um dois maiores e mais temidos assassinos de Nova York, apelidado de Baba Yaga (ou Bicho-Papão), trabalhando para a máfia Russa. Contudo, após se apaixonar, ele decidiu se aposentar e viver uma boa vida ao lado da esposa. Infelizmente, vítima de uma doença grave, a mulher vem a falecer, mas não sem antes deixar um presente para que John superasse o período de luto: um cachorrinho. No entanto, algum tempo depois, uma gangue invade sua casa, rouba seu carro e mata o cachorro. Movido pelo ódio da perda do último elo que havia tido com sua esposa, John Wick reencarna Baba Yaga e parte em busca de vingança.

De Volta ao Jogo não é inovador, mas possui um apelo emocional interessante, já que utiliza a morte de um cachorrinho como ponto de partida, algo não muito comum em longas de ação. Além disso, o filme se aproveita do carisma natural de Reeves para criar um  personagem já icônico, um prato cheio para quem gosta de longas repletos de pancadaria, perseguições, sangue e ossos quebrados. Não à toa ele ganhou duas sequências - John Wick: Um Novo Dia Para Matar (2017) e John Wick 3: Parabellum (2019) - com perspectiva de novos capítulos.


E aí, quantos filmes da lista você já assistiu? Sentiu falta de algum longa por aqui? Conta pra gente nos comentários!

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...