BOOK SHELTER | Histórias Assustadoras para Contar no Escuro


Olha só se não tem coluna nova estreando no Cinéfilo em Série!

Que você pode encontrar tudo sobe cinema e séries no site você já sabe, mas agora resolvemos adicionar um item pra lista de assuntos que gostamos de falar: livros! Não é incrível? Estamos muito animados e esperamos que você, que curte o nosso trabalho, também esteja. Pra quem ama muito livros, terão lista especiais, dicas de leitura, resenhas e várias obras que foram adaptadas para o cinema e que você pode ter curiosidade de saber se são boas ou não. E para a estreia da coluna, selecionamos o livro que serviu de inspiração para o recente filme produzido por uns dos diretores queridinho da indústria, Guillhermo del Toro (A Forma da Água).

Histórias Assustadoras para Contar no Escuro (2019) estreou no mês passado e seu roteiro foi desenvolvido a partir de histórias e lendas urbanas da obra literária homônima e que foi escrita pelo autor e jornalista americano Alvin Schwartz. A série conta com três livros: Histórias Assustadoras para Contar no Escuro (1981), More Scary Stories to tell in the Dark (1984) e Scary Stories 3: More Tales To Chill Your Bones (1991). Aqui no Brasil, infelizmente, só encontramos a primeira delas traduzida e em versão física, já as outras duas somente em inglês e e-book.

O livro, lançado pela editora José Olympio, que é bem simples, possui 127 páginas e conta com diversas ilustrações de Brett Helquist, que inclusive contribuiu para outras obras de sucesso, como Desventuras em Série. Além disso, ele é divido em cinco partes que trazem histórias para dar sustos nos amigos, narrativas fantasmagóricas, tramas aterrorizantes, algumas para rir e outras sobre medos reais. Ao todo são 29 histórias diferentes, que podem ser lidas em algumas horas - eu o li em cerca de 40 minutos.

Mas afinal, Histórias Assustadoras para Contar no Escuro é bom ou não?

Bom, isso vai depender da sua idade. De maneira geral o livro não mete medo algum, são histórias rápidas e "bobinhas", com a temática de acampamento infantil. São feitas realmente para serem contadas no escuro, inclusive, algumas acrescentam dicas sobre como criar um clima na hora da leitura para amigos, ou seja, totalmente voltadas para o público infantil, e quando digo isso, me referindo a crianças entre 5 a 8 anos no máximo. Algumas delas, como "Faróis Altos" (página 77), apresentam uma narrativa que pode atrair jovens com idade mais avançada, mas são poucos os casos.

A leitura em si não é ruim, nem a escrita de Schwartz, que é fluída e gostosa de acompanhar, mas ela provavelmente não agradará alguém que já passou dos 15 anos, muito menos uma jovem senhora como eu, que passei dos 20 já faz algum tempo. Tudo acaba soando muito "bobo" ou sem graça.

O que de fato é importante em Histórias Assustadoras para Contar no Escuro é que o livro mantém viva diversos contos que permeiam o imaginário e a cultura popular dos Estados Unidos. Cada país possui suas próprias lendas urbanas e é essencial que isso seja passado para frente. Essa é a graça não?

Se você tem filhos pequenos que curtem esse universo de terror e, claro, se você não vê problemas em assustá-los um pouquinho (sem traumatizar ninguém), essa pode ser uma opção para ter em casa.

No mais, eu já assisti a adaptação cinematográfica e acho que a maneira como os roteiristas Dan Hageman (Uma Aventura Lego) e Kevin Hageman (Lego Ninjago: O Filme), junto ao diretor André Øvredal (O Caçador de Troll), conseguiram aplicar as histórias no longa foi uma ótima saída, isso sem contar no respeito que todos tiveram com as ilustrações presentes nos livros. Vale à pena conferir.

Você pode encontrar Histórias Assustadoras para Contar no Escuro em diversas livrarias (físicas ou online), com preços variando entre R$ 30,00 e R$ 40,00. Quem sabe as outras duas continuações não chegam ao Brasil também!

E aí, gostou da nossa primeira review literária? Quer ver mais? Conta pra gente nos comentários!

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...